Tag: Winona Ryder

#Série | Stranger Things 3

Oi gente!
Quem acompanhou meus stories na última semana viu que eu aproveitei o feriado prolongado para assistir a 3ª temporada de Stranger Things – uma das minhas séries preferidas, lançada pela Netflix. Com uma trama mais contida e um roteiro bem amarrado, a produção com oito episódios.

Nesta nova fase, acompanhamos cinco linhas narrativas. A primeira com as crianças – não tão crianças mais – Mike (Finn Wolfhard), Will (Noah Schnapp), Lucas (Caleb McLaughlin), Max (Sadie Sink) e Eleven (Millie Bobby Brown) descobrindo as novas perspectivas da adolescência. A segunda traz o quarteto Steve (Joe Keery), Dustin (Gaten Matarazzo), Erica (Priah Ferguson) e Robin (Maya Hawke – para quem não sabe, ela é filha dos atores Ethan Hawke e Uma Thurman) desenvolvendo uma investigação pelo shopping Starcourt após interceptarem uma conversa russa. A terceira linha narrativa acompanha o elenco adulto – Hopper (David Harbour) e Joyce (Winona Ryder), que fica intrigada com os imãs de não fixam em sua geladeira, desenvolvendo outra investigação, enquanto fogem de um assassino russo que faz total referência ao personagem de Arnold Schwarzenegger em O Exterminador do Futuro. Outra linha acompanha Nancy (Natalia Dyer) e Jonathan (Charlie Heaton) no mercado de trabalho machista, onde ela tenta se impor e acaba ferrando tudo. E por fim, Billy (Dacre Montgomery) intensifica o arco sombrio da trama, que acompanha o Devorador de Mentes, com a intenção de possuir todos os habitantes da cidade.

É importante ressaltar como os produtores – os irmãos Duffer – construíram uma trilha narrativa extremamente competente e, principalmente, souberam aproveitar o que a série tem de melhor – a referência aos anos 80 e a capacidade dos personagens em conquistar o público.

Eu gostei bastante da relação construída nessa temporada entre as meninas – Max e Eleven, afinal de contas elas estão crescendo, surgem os namoros – era natural elas se aproximarem, e essa aproximação foi muito bem desenvolvida. Outra relação que já havia sido construída na temporada anterior e que deu muito certo foi entre Dustin e Steve. Em um primeiro momento fiquei receoso que o Dustin não seguiria com o restante dos meninos, mas acho que foi até melhor assim – o quarteto formado ganhou muito destaque – talvez até se tornando a melhor linha narrativa – e o surgimento das meninas foi essencial. Maya Hawke chegou para brilhar na trama e Priah Ferguson ganhou bastante destaque, após surgir na temporada anterior e conquistar todo o público com a engraçada e NERD Érica.

Para quem esperava que os produtores iriam continuar desenvolvendo a história da Eleven e as demais crianças que serviam como experimentos – como a Eight que apareceu em um polêmico episódio da segunda temporada – acabou não acontecendo. É bem provável que isso possa retornar na season 4.

Considerando que no 3º ano possui mais personagens dentro do círculo, é impressionante observar como os diálogos permanecem fluidos, consistentes e trazem uma maturidade que não só é originada pela passagem do tempo, mas principalmente pelas vivências que o público pode acompanhar desde a 1ª temporada. O crescimento dos garotos não só é apresentado pela mudança física ou no tom de voz, mas pelo modo como reagem às adversidades em conjunto.

Além da alta qualidade no roteiro que mescla fantasia, drama e tensão na mesma intensidade, Stranger Things parece estar cada vez mais à vontade para explorar o mundo de referências contidas nos anos 80. A produção continua impecável – o shopping é um dos pontos altos; a trilha sonora sempre maravilhosa, as roupas em tons neon, com muitas cores, estampas deixa tudo ainda mais bonito.

Com um final bombástico que promete deixar muitos fãs inconsoláveis, a série da Netflix se fortalece como uma das melhores coisas da televisão. Com uma cena pós-créditos que mostra um velho conhecido dos nossos protagonistas, Stranger Things finaliza com uma boa evolução, fazendo com que criemos diversas teorias para o que aconteceu. Prepare-se para rir e se emocionar!

E pessoal, aproveitem e me sigam nas redes sociais 
Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange | Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange

#Séries | Stranger Things 2

Oi gente!

Finalmente a Netflix lançou a 2ª temporada do fenômeno Stranger Things!! Estávamos muito ansiosos pela volta de Eleven e companhia. E preciso dizer que a nova temporada não decepcionou, foi tão incrível quanto a primeira – os irmãos Duffer nos presentearam com mais nove episódios recheados de suspense e muitas referências aos anos 80.

A nova temporada se passa um ano após o final da primeira, que inclusive nos deixou muitos questionamentos, principalmente com relação à Eleven (Millie Bobby Brown), que supostamente havia explodiu junto com o Demogorgon. Temos também o caso de Will (Noah Schnapp). Após ser resgatado do Mundo Invertido, o garoto parecia normal, mas nos momentos finais da temporada anterior podemos ver o garoto vomitando uma criatura estranha e tendo uma breve visão do Mundo Invertido. E já cabe aqui fazer um parênteses para elogiar o talento desses dois atores!! (Millie Bobby Brown perfeita como sempre interpretando a Eleven – muito amor por ela! Já Noah Schnapp, que não havia aparecido muito na primeira temporada, simplesmente arrasou! Um show de atuação!)

Will após tudo o que passou no Mundo Invertido, segue sua vida com o apoio dos amigos Mike (Finn Wolfhard), Dustin (Gaten Matarazzo) e Lucas (Caleb McLaughlin), da mãe Joyce (Winona Ryder) – cada vez mais super protetora e do xerife Hopper (David Harbour), que começou a investigar plantações locais de abóbora que estão apodrecendo misteriosamente. Temos também a história do trio Nancy (Natalia Dyer), Jonathan (Charlie Heaton) e Steve (Joe Keery). A garota não se conforma com o encobrimento da morte da amiga Barb e tenta “fazer justiça” ao mesmo tempo que se vê dividida amorosamente entre o namorado Steve e o amigo Jonathan.

Além disso, a segunda temporada trouxe novos personagens – com destaque para os irmãos Max (Sadie Sink) e Billy (Dacre Montgomery). A garota enfrenta problemas familiares e veio para se juntar ao grupo dos meninos, após o sumiço de Eleven. Foi muito divertida a relação dela com o Dustin e Lucas, que passam a disputar cada vez mais a sua atenção. Já o irmão Billy veio para ser o novo embuste da história, já que o Steve ficou bonzinho e começou a ajudar os garotos. Tem a irmã do Lucas – a garotinha com uma cena já conquistou a todos! E tem também o ator Sean Astin – para quem não se lembra, ele fez o Sam na trilogia Senhor dos Anéis e também era o Mikey de Os Goonies – e agora faz o novo namorado da Joyce. Ele apareceu pouco, mas nos conquistou super!! #tristes #QuemAssistiuVaiEntender.

No geral eu gostei bastante dessa segunda temporada, principalmente pelas referências à cultura pop dos anos 80 – os meninos vestidos como Caça Fantasmas, o filme Exterminador do Futuro passando nos cinemas e em comerciais na TV, a relação de Dustin e Dart como em E.T, além da trilha sonora recheada de sucessos. Ainda há muitas referências, que com certeza dariam um post – comentem aí se vocês gostariam que eu fizesse esse post só contando as referências e easter eggs de Stranger Things.

Outro destaque são as relações criadas entre os personagens, principalmente entre o Hopper e a Eleven – ele a protegeu e a escondeu na sua cabana e, para quem não lembra, na primeira temporada mostrou que ele perdeu uma filha, então a relação dos dois é super emocionante, principalmente no final. Tem também o Dustin e o Steve, que ficaram super amigos e foi uma relação bem imprevista – o Steve deixou de ser aquele cara chato e começou a ajudar as crianças, inclusive ele dando conselhos para o Dustin de como se conquistar as meninas foi super engraçado. E por fim, merece destaque a relação mãe-filho da Joyce e o Will – a Wynona Ryder arrasou na cena do exorcismo do filho. Foi show!

Mas ainda assim, tenho algumas críticas – na minha opinião poderiam ter explorado mais a Eleven, ela foi o grande sucesso da primeira temporada e teve menos destaque nessa. Acredito que irão fazer isso na terceira temporada, que deve girar mais em torno do laboratório, do Dr. Brenner e das crianças que serviam como experimento. Inclusive houve um episódio só para mostrar a Eleven descobrindo algumas coisas do passado, mas foi um capítulo um pouco controverso, alguns gostaram, outros odiaram porque fugiu do estilo de gravação da série. Fiquei um pouco decepcionado também com o surgimento dela no primeiro episódio – eu esperava algo mais impactante e acabou sendo uma cena óbvia.

Enfim, a série continuou com o alto nível da primeira temporada, continua sendo super original, trouxe uma fotografia e efeitos visuais bem melhores, um elenco mega afiado – as crianças principalmente são o grande destaque, a história foi bem desenvolvida e ainda deixou ganchos para a próxima temporada. Quem ainda não viu Stranger Things está perdendo uma série incrível!

Instagram do Entrelinhas Instagram Felipe Lange | Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange