Tag: this is us

Apostas para o Emmy 2018

Oi gente!
Eu já tinha um outro post preparado para hoje, mas resolvi mudar porque segunda-feira é dia de Emmy 2018 – a principal premiação da TV americana, que completa 70 anos, e no post de hoje resolvi comentar as principais categorias, dar as minhas previsões para vencedores e dizer quais são as minhas séries do coração  Detalhe: vou falar apenas das principais categorias!

Vou começar com a categoria de “Melhor Minissérie ou Série Limitada”
Concorrem: The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story  |  Godless  |  Patrick Melrose  |  The Alienist  |  Genius: Picasso


Série do  American Crime Story e Godless
Minha aposta: Assim como na edição anterior do Emmy, em que American Crime Story – contando a história do jogador O.J. Simpson que foi acusado de matar a esposa – levou TODOS os prêmios, acredito que neste ano será igual! A série é mega caprichada – padrão Ryan Murphy (tem resenha dela AQUI), e nesta segunda temporada narrou a história do assassinato do estilista Gianni Versace. Com relação às demais – Godless é muito boa, até merecia ganhar. The Alienist e Genius: Picasso (tem resenha AQUI) também são produções interessantes. Patrick Melrose é a única dessas indicadas que ainda não vi.

“Melhor Ator em Série Limitada ou Telefilme”
Concorrem: Darren Criss (The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story) | Antonio Banderas (Genius: Picasso) | Benedict Cumberbatch (Patrick Melrose) | Jeff Daniels (The Looming Tower) | John Legend (Jesus Christ Superstar) | Jesse Plemons (Black Mirror: USS Callister)


Minha aposta: Com certeza aposto no Darren Criss, que foi o grande destaque de American Crime Story, interpretando o assassino Andrew Cunanan – um trabalho impecável, digno de premiação. E queria destacar também a presença do Antonio Banderas, que também faz um ótimo trabalho em Genius, como o famoso pintor Picasso.

“Melhor Atriz em Série Limitada ou Telefilme”
Concorrem: Jessica Biel (The Sinner) | Michelle Dockery (Godless) | Sarah Paulson (American Horror Story: Cult) | Edie Falco (Law & Order True Crime: The Menendez Murders) | Laura Dern (The Tale) | Regina King (Seven Seconds)


Minha aposta: Difícil apostar nessa categoria! Primeiro: ainda não assis Seven Seconds e True Crime (apesar de estarem na minha lista). Laura Dern faz uma boa aparição em The Tale – que inclusive ainda vou trazer resenha desse filme; e Michelle Dockery é uma das minhas atrizes queridinhas, então amei vê-la em Godless. Maas, na minha opinião, acho que esta categoria fica entre Sarah Paulson (maravilhosa, sempre concorrendo e ganhando – ela venceu nesta categoria em 2016) e Jessica Biel (grata surpresa em The Sinner).

“Melhor Série de Comédia”
Concorrem: Atlanta  |  Black-ish  |  Silicon Valley  |  Unbreakable Kimmy Schmidt  |  The Marvelous Mrs. Maisel  |  Curb Your Enthusiasm  |  GLOW  |  Barry


Série do  Silicon Valley
Minha aposta: Gente, vou confessar que série de comédia não é meu forte… das indicadas assisti apenas Atlanta, Silicon Valley e Barry. Mas, pelo que se fala na mídia e, principalmente, pela crítica, Atlanta e The Marvelous Mrs. Maisel são as mais fortes para vencer. Neste caso torço por Atlanta – que é mega interessante, traz uma crítica social fantástica e um humor negro que faz toda diferença. Porém, The Marvelous Mrs. Maisel já venceu ano passado e vem ainda mais forte neste ano. Se for para apostar, aposto nela!

** PS: não vou me aventurar nas categorias de atuação em comédia porque, como expliquei, não acompanho a maior parte delas. Mas, se vocês assistem, comentem em quais vocês apostam.

E finalmente as categorias principais de DRAMA.
Concorrem: Stranger Things  |  Game of Thrones  |  The Crown  |  The Handmaid’s Tale  |  This Is Us | Westworld  |  The Americans


Série do TODAS!
Minha aposta: Meu Deus! O que apostar nessa categoria?? Simplesmente amo todas as séries e acho que todas deveriam ganhar!! Mas vamos lá… Stranger Things (tem resenha AQUI), The Americans (que está em sua última temporada) e The Crown (tem resenha AQUI) não ganham. Agora temos uma briga boa entre as outras quatro. This is Us (resenha AQUI) é maravilhosa, não consigo ficar um episódio sem chorar! Westworld é uma super produção e tem muitas chances, mas a minha aposta é The Handmaid’s Tale – a série do momento! Apesar que Game of Thrones corre por fora (a 7ª temporada não foi essas coisas, mas é uma produção forte e que sempre leva todos os prêmios – resenha AQUI).

“Melhor Ator Coadjuvante em Série de Drama”
Concorrem: David Harbour (Stranger Things) | Mandy Patinkin (Homeland) | Peter Dinklage (Game of Thrones) | Nikolaj Coster-Waldau (Game of Thrones) | Joseph Fiennes (The Handmaid’s Tale) | Matt Smith (The Crown)


Minha aposta: Vocês sabem que eu acompanho Homeland desde o início, mas Mandy Patinkin, apesar de ser um mega ator, não tem chances. E mesmo com toda a força de The Handmaid’s Tale, Joseph Fiennes também não deve levar. David Harbour é uma boa opção – até queria que ele vencesse, mas acho que a estatueta irá para um dos representantes de Game of Thrones – Peter Dinklage já venceu duas vezes nessa categoria; e Nikolaj Coster-Waldau teve ótimas cenas na última temporada exibida. Já Matt Smith corre por fora, tendo boas chances de vencer também.

“Melhor Atriz Coadjuvante em Série de Drama”
Concorrem: Ann Dowd (The Handmaid’s Tale) | Alexis Bledel (The Handmaid’s Tale) | Yvonne Strahovski (The Handmaid’s Tale) | Millie Bobby Brown (Stranger Things) | Thandie Newton (Westworld) | Lena Headey (Game of Thrones) | Vanessa Kirby (The Crown)


Minha aposta: Podemos ver uma supremacia de The Handmaid’s Tale nessa categoria! Aposto na Yvonne Strahovski – a personagem Serena teve um destaque muito maior na segunda temporada da série. Ficaria mega feliz com a vitória da Thandie Newton (apostei nela ano passado e acabei errando).

“Melhor Ator em Série de Drama”
Concorrem: Matthew Rhys (The Americans) | Sterling K. Brown (This Is Us) | Milo Ventimiglia (This Is Us) | Jeffrey Wright (Westworld) | Jason Bateman (Ozark) | Ed Harris (Westword)


Minha Aposta: Sterling K. Brown, sem mais.

“Melhor Atriz em Série de Drama”
Concorrem: Claire Foy (The Crown) | Elisabeth Moss (The Handmaid’s Tale) | Evan Rachel Wood (Westworld) | Keri Russell (The Americans) | Sandra Oh (Killing Eve) | Tatiana Maslany (Orphan Black)


Minha Aposta: Outra categoria que podiam vencer todas! Keri Russell, Tatiana Maslany e Claire Foy tem a última chance de vencerem nessa categoria com suas séries atuais, já que The Americans e Orphan Black estão na temporada final e The Crown terá novo elenco com a passagem de tempo. Curti a indicação de Sandra Oh (tem resenha de Killing Eve AQUI); mas a categoria fica polarizada entre Elisabeth Moss e Evan Rachel Wood. Na minha opinião vai dar Elisabeth Moss, pela segunda vez consecutiva.

É isso pessoal, essas são as minhas apostas para esse ano. Como vocês perceberam The Handmaid’s Tale deve fazer a limpa no Emmy! Nada mais do que merecido, neh?! Agora quero saber o que vocês acharam das minhas previsões, concordam ou discordam?! Me falem aí nos comentários e me sigam nas redes sociais 

Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange | Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange

#Séries | 2ª Temporada de This is Us

Oi gente!
Como falei alguns posts atrás, devido às postagens dos filmes que concorriam ao Oscar, acabei deixando passar algumas dicas de séries – e hoje vou falar um pouquinho sobre a segunda temporada de This is Us.

Para mim, This is Us já se tornou uma das minhas séries preferidas – está com toda certeza no meu TOP 3. Como não amar a história da Família Pearson? E como não chorar a cada capítulo? This is Us é aquele drama bem feito e que a gente ama sofrer junto com todos os personagens. Nesta nova temporada temos um foco maior na vida do “Big Three” – Kevin (Justin Hartley), Kate (Chrissy Metz) e Randall (Sterling K. Brown).

Para aqueles que não viram e não querem Spoilers – já vou avisando que aqui terão vários! Kate continua tentando lidar com a questão do peso e sua auto-estima, contando agora com o apoio do namorado e futuro marido Toby (Chris Sullivan). Kevin surtou, foi para a rehab, jogou todos os seus dramas na cara de sua família (esse episódio foi um dos melhores) e agora tenta lidar com o que sobrou em sua vida. Já Randall, junto com a esposa Beth (Susan Kelechi Watson), se candidata a adotar uma criança mais velha que dificilmente encontrará um lar. O casal recebe Deja – uma adolescente complicada, que já pulou de casa em casa. Para agravar o quadro, a mãe biológica, uma figura irresponsável e abusiva, aparece para atrapalhar o processo. Tudo isso serviu para enriquecer e trazer uma dose de sofrimento ao núcleo mais monótono do enredo.

Além disso, uma das cenas mais esperadas aconteceu – a morte de Jack (Milo Ventimiglia). Desde a primeira temporada nós já sabíamos que o personagem iria morrer, mas a cena era uma das mais aguardadas pelos fãs. E veio no principal episódio da temporada – o que foi exibido após o Super Bowl, horário considerado a maior audiência da TV americana. Minhas considerações: primeiro – eu acho que a série teve um furo, pois na primeira temporada foi dito que o personagem morreria em um acidente de carro – tanto que no último episódio fiquei super apreensivo esperando que isso acontecesse quando Jack dirige bêbado indo atrás de Rebecca (Mandy Moore), mas não ocorreu. Aí no começo da segunda temporada diz que ele morreu em um incêndio. Mais alguém percebeu isso?! Enfim, segunda coisa a comentar – chorei mega na cena da morte, mas ainda assim achei um pouco improvável – ele estava “bem” após o incêndio e assim que a esposa sai do quarto do hospital, do nada ele morre?! O episódio foi lindo, a cena foi emocionando, com um show dos atores jovens, mas não me convenceu muito a morte. E só fez levantar ainda mais a dúvida sobre a “teoria da conspiração” que rola na internet de que Jack está vivo. Se isso acontecer, não vou mentir, iria AMAR!

Falando um pouco da parte técnica, os atores continuam incríveis nos papéis. Destaque para Sterling K. Brown, que levou todos os principais prêmios de melhor ator nas premiações deste ano. Chrissy Metz é impecável! Justin Hartley teve oportunidade de se mostrar mais nesta temporada – seu personagem ganhou mais destaque e o ator aproveitou bem, se destacando em alguns episódios. Tivemos participações mega especiais nesta temporada, como o episódio que contou com Sylvester Stallonne (bem no comecinho).

A produção é sempre um destaque a parte, a série tem viradas que são necessárias para o desenvolvimento da história e a fotografia cada vez mais interessante. Se você ainda não viu “This is Us” não sabe o que está perdendo! As duas primeiras temporadas têm 18 episódios cada, com cerca de 45 minutos. Dá para fazer aquela maratona, mas não se esqueça de preparar os lencinhos porque você vai chorar bastante!

Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange | Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange

#Séries | This is Us

“Às vezes a vida pode surpreender você”. Essa é a premissa da série “This is Us”, que teve o último episódio da 1ª Temporada exibido na semana passada – total de 18 episódios. Das séries que eu estou assistindo, esta é uma das melhores – cumpre muito bem o seu papel de drama familiar.

O seriado é uma crônica da relação de um grupo de pessoas que nasceram no mesmo dia. A trama gira em torno de cinco personagens principais – Rebecca (Mandy Moore), Jack (Milo Ventimiglia), Kevin (Justin Hartley), Kate (Chrissy Metz) e Randall (Sterling K. Brown) – Rebecca e Jack são um casal que está para ter trigêmeos; Kevin é um ator frustrado com sua carreira; Kate é uma mulher que luta contra sua obesidade, e Randall é um homem negro,  bem-sucedido e que está à procura do seu pai biológico.

A narrativa é muito interessante, misturando passado e presente. No final do primeiro episódio já descobrimos que Rebecca e Jack, que estavam para ter trigêmeos, são os pais de Kevin, Kate e Randall – no caso, o terceiro gêmeo morreu no parto – porém, ainda na maternidade Jack resolve adotar um bebê negro que havia sido abandonado (essa cena é muito linda).

A série possui momentos belíssimos, tristes, engraçados e divertidos. E o elenco manda muito bem. Você se apaixona pelos personagens, torce por eles, vibra com as conquistas, sofre com as dificuldades que aparecem no caminho. Ao longo de cada episódio, a trama explora as relações entre as personagens e as incertezas e inseguranças de cada um, usando o recurso do flashback, muitas vezes retornando ao passado desses personagens, para explicar seu relacionamento com a família, amigos, mostrando o porquê deles se comportarem de determinada maneira.

Os grandes destaques da série são os atores Milo Ventimiglia – que fez o Jess em Gilmore Girls e Mandy Moore – para quem não lembra, ela é cantora e protagonizou o filme “Um Amor para Recordar”. Desde as primeiras cenas descobrimos um mistério: no presente, Rebecca está viva e casou-se novamente com Miguel (Jon Huertas), o melhor amigo do seu marido. Já Jack morreu, porém, até o momento, não sabemos como, mas já sofremos desde o início, pois o personagem é muito carismático e querido pela família. Ao longo dos episódios, Kate é a que mais sofre e se sente culpada pela morte do pai – inclusive acreditava que a cena de sua morte seria exibida no último episódio – o que não aconteceu.

Merecem destaque as relações entre os irmãos – Kate e Kevin são bem próximos, porém, Kevin e Randall tiveram desentendimentos no passado. Outra história que nos emociona ao longo dos episódios é a de William (Ron Cephas Jones), o pai biológico de Randall que o abandonou em frente ao prédio dos Bombeiros, por ser dependente químico e não ter condições de cuidar do filho recém-nascido. Agora, no presente, pai e filho se reencontram, mas William tem câncer em estágio terminal e aproveita cada momento com a nova família.

Se você ainda não assistiu, não perca mais tempo. Inclusive, o canal NBC já renovou a série por mais duas temporadas – cada uma com 18 episódios. A segunda temporada de “This is Us” deve estrear em setembro deste ano.