Tag: The Flash

Mix de #Séries

Oi gente!
No post de hoje vou fazer um mix de algumas séries que acompanho e que já estão bem avançadas em suas temporadas, assim não preciso fazer vários posts separados  e vocês também podem ter uma base das séries que acompanho há bastante tempo.

Primeiro vou falar de Homeland, que finalizou sua 7ª temporada. Esta era uma das minhas séries preferidas, principalmente nas três primeiras temporadas, depois disso acho que a produção começou a decair, tanto que a 6ª temporada foi bem fraquinha. Já a 7ª não foi ruim, mas também não foi a melhor. No início, Carrie (Claire Danes) busca reverter as prisões de 200 pessoas que a presidente Elisabeth Keane (Elizabeth Marvel) acha que talvez tenham tido ligação com o atentado que sofrera, entre eles, Saul Berenson (Mandy Patinkin). Depois, a história converge para uma caçada em busca de um agente russo Yevgeny Gromov e sua comparsa Simone Martin que, por meio de fake news, tentam derrubar o governo da presidente americana. Paralelamente, Carrie ainda enfrenta problemas pessoais com a criação da filha, a relação com a irmã Maggie (Amy Hargreaves) e seus surtos de bipolaridade. No elenco, Claire Danes continua segura; Mandy Patinkin é um dos grandes atores no cast; e os destaques nesta temporada são Morgan Spector (como o agente Dante Allen) e Sandrine Holt (a espiã Simone Martin). Na parte técnica, o roteiro é coerente e ágil. E o Showtime, canal que produz o seriado, já confirmou que a 8ª temporada será a última.

Outra série que acompanho é Jane The Virgin, que encerrou sua 4ª temporada pela CW. E a vida de Jane Gloriana Villanueva (Gina Rodriguez) continua movimentada! Após a morte de Michael na season anterior – que foi uma das grandes surpresas – Jane e Rafael (Justin Baldoni) tem todo o caminho livre para se acertarem. E confesso que adoro eles juntos!! Petra (Yael Grobglas) deixou de ser a vilã para sofrer um pouco nessa temporada, após ser acusada de matar sua irmã gêmea Aneska. E o mais legal é a trajetória que os personagens secundários têm tomado. Rogelio (Jaime Camil) e Xiomara (Andrea Navedo), após o casamento, seguem rendendo ótimos momentos, sem contar agora com o nascimento da Baby, filha de Rogelio com Darci (Justina Machado). Outro ponto importante foi o desenvolvimento da doença de Xo. E Alba (Ivonne Coll) é outra que está maravilhosa nessa temporada. Preciso destacar a participação do ator Tyler Posey nos primeiros episódios, vivendo um ex-namorado de Jane. Juntos, eles tiveram uma boa química, e foi bom lembrar um lado mais jovem da Jane que não víamos há muito tempo. E mais ao final, a atriz Brooke Shields (de A Lagoa Azul) também fez uma divertida participação. Enfim, Jane the Virgin é uma série bem divertida, despretensiosa, que acompanho desde o início e já estou sofrendo por saber que a 5ª temporada será a última. Ahh, não vou dar spoiler, mas tivemos um mega plot twist na season finale.

Mais uma série de comédia que acompanho é Silicon Valley. A 5ª temporada, exibida pela HBO, manteve o ótimo padrão da produção. Richard Hendrix (Thomas Middleditch) e companhia continuam focados no lançamento da chamada nova internet e se eles irão conseguir desenvolver a plataforma descentralizada, aberta e para todos de uma forma competir com a gigante Hooli e as outras empresas de tecnologia. A dinâmica entre Dinesh (Kumail Nanjiani) e Gilfoyle (Martin Starr) continua sendo um dos pontos altos; Jared (Zach Woods) cresce na trama, sendo promovido para Chefe de Operações – consequentemente o ator também consegue mostrar seu melhor. T.J. Miller não voltou nesta temporada – após as acusações de estupro e agressões – e, para falar a verdade, nem senti falta. O personagem Erlich Bachmann é citado diversas vezes ao longo dos episódios. Já aguardo ansiosamente a 6ª temporada!

Agora pelo canal E!, acompanho The Royals, que chegou a sua 4ª temporada, mantendo a perfeita combinação de drama e comédia, com os escândalos, intrigas, disputas de poder e muito romance. Após a volta de Robert (Max Brown) na temporada anterior – talvez o maior plot de toda série – o príncipe Liam (William Moseley) continua obcecado por desmascarar o irmão – que agora é o rei. Com a ajuda do tio Cyrus (Jake Maskall), Liam quer provar que Robert mentiu e está por trás do assassinato de seu pai – o rei Simon. Além disso, Robert precisa arrumar uma esposa para se tornar rainha e a escolhida é a plebeia Willow (Genevieve Gaunt). Mas o grande destaque da temporada é o casal Jasper Frost (Tom Austen) e Princesa Eleanor (Alexandra Park) – que finalmente se acertaram e conseguiram passar a temporada inteira juntos!!! Melhor casal de toda série!! Analisando a temporada, ela deu uma caída – talvez pela saída do criador Mark Schwahn. Os episódios finais foram muito bons, a história fluiu bem e os produtores nos presentearam com uma ótima reviravolta para a temporada seguinte.

Por fim, quero falar das temporadas de The Flash e Supergirl – séries de super-heróis exibidas na Warner. A season 4 de The Flash para mim foi uma decepção – tinha tudo para ser incrível, mas o roteiro não ajudou. Foi a temporada mais fraca de todas – trama confusa, mal resolvida, as motivações do vilão nunca ficaram bem esclarecidas e, por várias vezes, os roteiristas acabaram por utilizar mecânicas que já tinham sido vistas em temporadas passadas. O elenco estava apático e não trouxe emoção. O vilão da temporada – Clifford DeVoe – não é um dos mais conhecidos nos quadrinhos do Flash. A produção deu um ar de invencibilidade ao personagem e no último episódio ele é derrotado por uma coisa tão boba. Ficou difícil acreditar! Só espero que a série não esteja desgastada e volte melhor na 5ª temporada.

Já a 3ª temporada de Supergirl foi no caminho inverso de The Flash e trouxe ótimos momentos. No início, Kara (Melissa Benoist) estava sofrendo com a partida de Mon-El (Chris Wood) e, apesar de o personagem ter retornado, a relação dos dois continuou como uma sombra. O destaque fica para os coadjuvantes – Lena Luthor (Katie McGrath) se envolve com Jimmy Olsen (Mehcad Brooks); Alex (Chyler Leigh) tenta superar o fim do relacionamento com Maggie e continua sendo a agente “bad ass” do DEO e J’onn (David Harewood) reencontrou o pai, que era prisioneiro em Marte. A série ainda teve novas personagens – Samantha (Odette Annable) e Ruby (Emma Tremblay). Inclusive Sam vira uma Reign – uma matadora de mundo que quer destruir Kara. Eu curti bastante essa temporada, as novas personagens deram uma boa movimentada na trama, as vilãs foram bem construídas e a história deve crescer na season 4.

Eaí, gostaram do meu resumo? Assistem alguma dessas séries? Me contem nos comentários! E pessoal, aproveitem e me sigam nas redes sociais 

Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange | Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange

#Séries | Crossover “Crisis on Earth-X”

Oi gente,
E vocês achando que Liga da Justiça seria o melhor encontro de super heróis do ano?! Não!! Surge o crossover das séries Arrow, The Flash, Supergirl e Legends of Tomorrow – produzido pela CW – para nos alegrar! “Crise na Terra X” (Crisis on Earth-X) mostrou os heróis da DC encarando um novo tipo de ameaça: suas próprias versões nazistas. Vindos de uma realidade onde a Alemanha de Hitler venceu a 2ª Guerra Mundial, os vilões tinham planos obscuros que iam desde dominar outras versões da Terra até arrancar o coração da Supergirl para salvar sua versão do mal. Ao longo de quatro episódios, muita coisa aconteceu: mortes, casamentos e retorno de vilões.

Para quem for assistir, tem uma ordem – começa com Supergirl, depois vai para Arrow, passa por The Flash e termina em Legends of Tomorrow. Barry Allen (Flash), Oliver Queen (Arrow), Kara Danvers (Supergirl), Sara Lance (Canário Branco), Dr Martin Stein (Nuclear), Ray (Atom), Iris West, Caitlin Snow (Killer Frost), Cisco Ramon (Vibe), Joe West, Felicity Smoak, Winn Schott e Alex Danvers reunidos em quatro episódios emocionantes.

O crossover explora bem o lado pessoal dos três personagens principais, para alguns pode parecer estranho, mas o pouco que foi explorado foi riquíssimo para a evolução estrutural do enredo desta história que foi brilhante. E para aqueles que assistem uma e não veem outra, podem ficar tranquilos que não influencia em nada na história. Todas as quatro séries têm sequência normal nos episódios.

Mais uma vez, os roteitistas apostaram nos vilões mascarados, para gerar mistério quanto a suas identidades, algo comum nas séries de herói da emissora. Entretanto, a “dúvida” não convenceu. Desde o início fica claro que a kriptoniana da Terra X é Kara e que o arqueiro é Oliver. Quer dizer, cópias deles, e melhor – AQUI VAI UM SPOILER – eles são casados! Por mais que tenha sido interessante ver aversão malvada dos personagens, Melissa Benoist e Stephen Amell não conseguiram se despir das caras de bons moços. Além disso temos a volta de do Flash Reverso. Inclusive foi surpreendente descobrir que era o mesmo Eobard Thawne que se passou por Harrison Wells na primeira temporada de The Flash e que voltou do futuro para se vingar de Barry Allen.

ALERTA DE SPOILER – Durante os episódios tivemos vários momentos interessantes como o envolvimento da Canário Branco com a Alex Danvers; Kara soltando a voz (novamente) durante o casamento; o melhor amigo do Arrow – Tommy Merlyn vivo de novo, porém na versão do mal; Felicity revelando suas inseguranças em se casar com Oliver; Barry reencontrando Eobard; a volta de um dos personagens mais queridos – Leonard Snart; uma luta final de tirar o fôlego e um dos momentos mais emocionates – a despedida do Dr Martin Stein.

Feito para os fãs, o crossover “Crise na Terra X” teve alguns defeitos, mas empolgou, divertiu e emocionou. Agora é esperar para ver como esses eventos vão influenciar no restante das temporadas de The Flash, Arrow, Supergirl e Legends of Tomorrow.

Instagram do Entrelinhas Instagram Felipe Lange | Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange