Tag: projeto

#Livros | O Ruído das Coisas ao Cair (Projeto Lendo o Mundo)


Em meados da década de 1990, Antonio Yammara é um jovem professor de Bogotá que passa seu tempo livre no bilhar próximo à universidade em que leciona. Sua vida muda quando conhece Ricardo Laverde, ex-presidiário que pagou um alto preço pela ligação com o tráfico internacional de drogas. Ele compreende que há segredos muito importantes no passado de seu novo conhecido. Quando Laverde é assassinado, Yammara decide investigar os motivos do crime, de uma maneira quase obsessiva. Ele não somente mergulha nos brutais eventos do narcotráfico, como verá seu próprio passado, repleto de culpas e segredos, com outros olhos.

E para encerrar o ano, vamos ter mais uma edição do Projeto “Lendo o Mundo” – que é aquele desafio onde eu leio um livro que caracteriza os países do mundo, com o objetivo de conhecer culturas, contextos e escritas diferentes. Para saber mais, acesse o link. E hoje a dica é “O Ruído das Coisas ao Cair”, do escritor colombiano Juan Gabriel Vasquéz.

A história de “O Ruído das Coisas ao Cair” começa nos anos 70 e conta a vida de Antonio Yammara, um jovem professor de direito que costumava passar boa parte do seu tempo livre jogando bilhar próximo à Universidade onde ele ensina. Lá ele conhece Ricardo Laverde, um ex-presidiário que acaba assassinado. A vida de Yammara sofre um profundo e irreversível impacto por conta do assassinato de Laverde, e anos depois da tragédia ele resolve tentar descobrir os motivos do crime. Vásquez cria neste romance impactante, uma narrativa de intrigas e paixões em meio à violenta história da Colômbia. Livro vencedor do Prêmio Alfaguara de Literatura em 2011, “O Ruído das Coisas ao Cair” retrata com precisão a história de uma geração que conviveu de perto com o poder do narcotráfico no país.

Juan Gabriel Vásquez é tido como um dos maiores expoentes da nova geração literária da Colômbia e da América Latina. Apesar de viver há mais de uma década na Espanha, seu país natal tem frequente destaque em seus romances. Segundo os jornais “El Espectador” e “Arcadia”, de Bogotá, a escrita do autor contém uma clareza rara. Este romance é a história de uma amizade frustrada. Mas é também uma história de amores em tempos pouco adequados, além de uma análise profunda de uma geração ligada ao medo.

Eu curti bastante a escrita do autor, ele consegue narrar toda a história de uma forma atraente, que prende a atenção do leitor. Outro ponto positivo é a forma em que Vásquez inclui efeitos de escrita que faz toda a diferença, como por exemplo, o silêncio justificando em vários momentos “o ruído das coisas”. Os capítulos são bem descritivos quanto às situações e sentimentos, além de serem um pouco longos. Além disso, a capa desta edição é mega linda – um pouco sombria que demonstra com clareza o clima do livro.

Enfim, eu estou tendo bastante sorte aos escolher os livros do Projeto “Lendo o Mundo”. Até o momento gostei bastante de todos que li – se você quiser saber mais sobre os outros, veja no link – Por Dentro da Casa Branca (Estados Unidos) e Muito Longe de Casa (Serra Leoa). E já adianto aqui que em 2018 o projeto continuará e as próximas leituras serão “A Última Mensagem de Hiroshima”, de Takashi Morita (Japão) e “Depois de Auschwitz”, de Eva Schloss (Alemanha).

Área: 1 138 914 km²
Capital: Bogotá
População: 48 747 632 hab. (estimativa 2016)
Moeda: Peso Colombiano
Data Nacional: 20 de julho
Governo: República Presidencialista
Presidente: Juan Manuel Santos

#Livro | Por Dentro da Casa Branca (Projeto Lendo o Mundo – Estados Unidos)

Da icônica família Kennedy aos descolados Obama, tudo o que aconteceu e acontece na Casa Branca passa pelos olhos e ouvidos de seu fiel e discreto staff, que, há mais de dois séculos, prepara as refeições, tira o pó dos móveis e arruma a cama dos presidentes americanos e de seus familiares. Neste livro da jornalista americana Kate Andersen Brower, esses privilegiados observadores ganham voz e revelam que a propriedade localizada no número 1.600 da Pennsylvania Avenue, em Washington, é, além da sede do governo dos Estados Unidos, também uma residência como muitas outras, que abriga uma família diferente de quatro em quatro anos – ou de oito em oito anos.

Além de romances, um outro gênero que eu adoro são os livros-reportagens. E “Por Dentro da Casa Branca” me surpreendeu positivamente, com uma narrativa envolvente e muitos depoimentos sensacionais feitos durante anos pela jornalista americana Kate Andersen Brower. Envolvida em política, a autora cobriu os acontecimentos da Casa Branca por quatro anos para o Bloomberg News.

** A leitura deste livro faz parte do Projeto “Lendo o Mundo”SAIBA MAIS

Este livro é uma espiada pelo buraco da fechadura da casa do homem mais poderoso do mundo – o presidente dos Estados Unidos. De certa forma, “Por Dentro da Casa Branca” nos traz o que vem depois das luzes serem apagadas. A autora delicia o leitor com detalhes íntimos da vida da primeira-família. Podemos acompanhar os filhos do presidente Jimmy Carter fumando maconha ou caprichos como de Nancy Reagan, uma primeira dama que era exigente ao extremo e chegava a ter uma relação difícil com seus funcionários, criando sobremesas complicadas em cima da hora ou exigindo que os objetos não fossem movidos um centímetro de lugar, ou ainda, o presidente Johnson que tinha uma relação de obsessão por seu chuveiro e enlouquecia os empregados por causa disso.

Graças aos depoimentos de mordomos, arrumadeiras, cozinheiros, assessores, pintores, eletricistas, floristas, entre outros profissionais, e de três ex-primeiras damas, os bastidores dos cerca de 160 cômodos da mansão mais famosa do mundo são revelados ao leitor. E o grande destaque é que, dessa vez, o protagonista não é o presidente americano, e sim, os seus funcionários – super reservados – como por exemplo, James “Skip” Allen (assessor, 1979-2004), Preston Bruce (porteiro 1953-1977), Cletus Clark (pintor, 1969-2008), Christine Limerick (governanta-chefe, 1979-2008), Roland Mesnier (chef confeiteiro, 1979-2006), Rex Scouten (assessor, mordomo-chefe e curador-chefe, 1957-1997) e James Ramsey (mordomo, final do governo Carter- 2010) – esses são os que mais tiveram depoimentos durante a narrativa.

A história da presidência americana sempre foi rodeada por escândalos, muitas vezes “varridos para debaixo do tapete”. Neste livro, temos um breve olhar de vários momentos que marcaram a Casa Branca como, por exemplo, os casos amorosos do presidente Kennedy.

“Em 1975, o ex-funcionário Traphes Bryant foi uma das primeiras pessoas com acesso direto à residência a tornar público o famoso lado mulherengo de Kennedy (…) o presidente Kennedy aproveitava as longas ausências da esposa (…) Quando ela estava fora, o presidente gostava de nadar nu na piscina interna aquecida da Casa Branca, que havia sido construída em 1933 para ser usada na terapia para tratamento da pólio do presidente Roosevelt. Kennedy frequentemente se encontrava lá com suas amantes” (página 222 e 223)

Ou então o escândalo sexual envolvendo o presidente Bill Clinton e a estagiária Mônica Lewinsky, em 1998 – caso este que quase derrubou Clinton da presidência.

“Havia sangue na cama do presidente e da primeira dama (…) O sangue era de Bill Clinton que teve de levar vários pontos na cabeça. Ele insistia que tinha se machucado ao dar um encontrão na porta do banheiro no meio da noite, mas ninguém engoliu a versão. ‘Estamos convencidos de que ela bateu nele com um livro’, disse outro funcionário. O incidente ocorreu pouco depois de se tornar público o caso do presidente com uma estagiária da Casa Branca – claramente um momento de crise no casamento dos Clinton. E o que não faltava eram livros para a esposa traída (Hillary Clinton) escolher, havia pelo menos vinte em seu criado-mudo. Inclusive uma bíblia” (página 153).

Até detalhes íntimos, que nunca ninguém imaginaria, vieram a ser narrados.

“Habitualmente a Casa Branca designa quatro arrumadeiras para trabalhar na residência. Certo dia, Ivaniz Silva, hoje com 76 anos, estava no quarto de dormir do presidente Reagan depois da cinco e meia da tarde, arrumando a cama e fechando as cortinas. Mas, quando ela passou para a saleta anexa ao quarto, não acreditou no que viu: o presidente, sentado, lendo o jornal, sem roupa nenhuma” (página 230).

São mais de 50 anos de história e 10 governos retratados – John Kennedy (1961-1963), Lyndon B. Johnson (1963-1969), Richard Nixon (1969-1974), Gerald Ford (1974-1977), Jimmy Carter (1977-1981), Ronald Regan (1981-1989), George H. W. Bush (1989-1993), Bill Clinton (1993-2001), George W. Bush (2001-2009) e Barack Obama (2009-2017). Um livro excelente, com uma narrativa que prende o leitor curioso a descobrir os grandes segredos.

Área: 9.371.175 km²
Capital: Washington
População: 308.745.538 hab. (censo 2010)
Moeda: Dólar
Nome Oficial: Estados Unidos da América
Data Nacional: 04 de julho (Dia da Independência)
Governo: República Presidencialista
Presidente: Donald Trump

#Desafio Lendo o Mundo

Tá chegando um projeto novo e super bacana aqui no Entrelinhas!!

O projeto Lendo o Mundo se direciona à leitura de pelo menos um livro de cada país do mundo. Assim, há a possibilidade de conhecer culturas, contextos e escritas diferentes, sair do comodismo das leituras monopolizadas por autores norte-americanos e seguir um viés de descobertas. Ele foi inspirado pelo A year of reading the world e pelo A volta ao mundo em 198 países.

Vou seguir a determinação do A volta ao mundo em 198 países: 193 países membros da ONU mais seus dois estados-observadores (Vaticano e Palestina) e Taiwan, Saara Ocidental e Kosovo que não são reconhecidos por ela.

Para aqueles que querem conhecer um pouquinho mais do projeto original – basta clicar neste link A Year of Reading the World  – e também recomendo o blog Literature-se – que foi onde eu conheci esse desafio.

Esta será a minha legenda para vocês acompanharem os livros que já li de cada país. O projeto começa hoje – dia 06/04/2017 e segue por tempo indeterminado. Assim irei desconsiderar os livros que já li de alguns países – como Brasil, Estados Unidos e Inglaterra. O desafio está lançado!!

Estados Unidos  Kate Andersen Brower (Por Dentro da Casa Branca
Serra Leoa
 ● Ismael Beah (Muito Longe de Casa
Colômbia  
Juan Gabriel Vásquez (O Ruído das Coisas ao Cair
Japão 
Takashi Morita (A Última Mensagem de Hiroshima) ✓
Alemanha ● 
Eva Schloss (Depois de Auschwitz) ✓