Tag: gal gadot

#Filme | Mulher Maravilha 1984

Oi gente!
“Mulher Maravilha 1984” é um filme obrigatório para começar bem o ano de 2021. Depois de tudo que passamos em 2020, precisávamos de um ótimo blockbuster para entreter e MM84, para mim, surpreendeu.

Acompanhamos Diana Prince/Mulher-Maravilha (Gal Gadot) em 1984, durante a Guerra Fria, entrando em conflito com dois grande inimigos – o empresário de mídia Maxwell Lord (Pedro Pascal), que encontra uma pedra capaz de realizar qualquer desejo; e a amiga que virou inimiga Barbara Minerva/Cheetah (Kristen Wiig) – enquanto se reúne com seu interesse amoroso Steve Trevor (Chris Pine).

Primeiramente preciso enaltecer o talento e carisma de Gal Gadot! Que mulher, simplesmente maravilhosa! A atriz está confortável no papel da heroína mais famosa da DC. E o elenco contém ainda ótimos nomes como Pedro Pascal, que constrói um vilão digno dos quadrinhos, ao mesmo tempo que tenta dar uma humanidade ao personagem. O mais fascinante em toda narrativa é que os poderes de Maxwell provocam o caos a partir das escolhas da humanidade. Todos possuem uma parcela de culpa.

Kristen Wiig, que interpreta Barbara Minerva, é outro ponto alto da produção. A sua transição de tímida arqueóloga é implacável, mas confesso que não curti muito a forma como a apresentaram como Mulher Leopardo/Cheetah. Apesar disso, Kristen teve ótimos momentos para explorar as facetas da personagem. Ainda quero vê-la nas produções seguintes.

O foco desta nova aventura se norteia entre o limite do certo e errado para se conseguir o que quer. Por isso, justifico o criticada cena de abertura, onde vemos a protagonista, ainda criança, em uma grande competição. Além dessa cena, que contou com grandes efeitos especiais, tivemos outros momentos interessantes, onde esses efeitos também foram muito bem utilizados. Outra coisa que estava me deixando tenso, era a volta de Chris Pine para a sequência. O roteiro soube explorar o alívio cômico com o personagem e ainda trouxe aquele toque nostálgico e sentimentalista.

Patty Jenkins fez novamente um ótimo trabalho! Mulher-Maravilha 1984 é leve, divertido e possui uma mensagem necessária para o momento em que vivemos!

E pessoal, aproveitem e me sigam nas redes sociais 
Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange | Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange

#Filmes | Mulher Maravilha

Depois de várias semanas, finalmente consegui assistir “Mulher Maravilha”, o novo filme da DC Comics. E gente, que filmaço!! Eu simplesmente adorei!

Treinada desde cedo para ser uma guerreira imbatível, Diana (Gal Gadot) nunca saiu da paradisíaca ilha de Themyscira, em que é conhecida como princesa das Amazonas. Quando o piloto e espião britânico Steve Trevor (Chris Pine) se acidenta e cai numa praia do local, ela descobre que uma guerra sem precedentes está se espalhando pelo mundo e decide deixar seu lar, certa de que pode parar o conflito. Lutando para acabar com todas as lutas, Diana percebe o alcance de seus poderes e sua verdadeira missão na Terra.

Com certeza esse é o melhor filme da DC desde “Batman – O Cavaleiro das Trevas”. A atriz Gal Gadot está incrível como a personagem título. Para quem não sabe, a atriz nasceu em Israel, já foi modelo e também passou pelo exército. Poucos devem lembrar também que ela já atuou em quatro filmes da saga Velozes e Furiosos. E assim como a atriz Lynda Carter, que viveu a Mulher Maravilha nos anos 70, Gal foi a escolha certa para o papel.

O filme tem início em Themyscira, uma ilha afastada do “mundo externo” onde vivem as Amazonas – elas possuem um objetivo que é destruir o Deus da Guerra Ares, quando este retornar para acabar a humanidade. Destaque para Robin Wright (de “House of Cards”) – ela está perfeita como a guerreira Antíope, general das Amazonas. Apesar de aparecer bem pouquinho, ela com certeza rouba a cena no início do filme. Outro destaque positivo é o ator Chris Pine (de “Star Trek”) – ele teve muita química com a Gal.

A diretora Patty Jenkins se mostrou certeira! Soube misturar ação, suspense, lutas, drama e até um pouco de romance para montar um filme muito bom! Ela conseguiu desenvolver um roteiro que mostre uma protagonista forte e determinada, mas também sensível e capaz de amar.

E se tem um ponto negativo, eu cito os vilões da história. Foram bem fraquinhos – o que salva mais são algumas cenas entre o general Ludendorff (Danny Huston, de “American Horror Story”) e a Dra. Maru (Elena Anaya, de “Van Helsing”). O principal plot twist do filme não foi tão surpreendente. Prefiro dizer que “Mulher Maravilha” é um filme que abordou mais o surgimento da heroína – e este é o grande diferencial para considerar a produção incrível.

E ainda neste ano, teremos a oportunidade de ver Gal Gadot novamente como Mulher Maravilha no filme “A Liga da Justiça”, que chega aos cinemas brasileiros em 16 de novembro.

E pessoal, não se esqueçam de participar da PROMOÇÃO ESSE KINDLE É MEU! que irá sortear um kindle + obra completa da autora Ana Ferrarrezi autografada. Quem quiser saber mais é só clicar neste link!