Tag: editora Valentina

Livro ▪ Passarinha

Autora: Kathryn Erskine
Editora: Valentina
Páginas: 224
Skoob
Onde Comprar: Americanas | Submarino | Amazon

Oi gente!
Há um bom tempo, “Passarinha”, da autora Kathryn Erskine, estava na minha lista de desejados e resolvi (finalmente) colocar essa leitura em prática! Trata-se de um livro incrível, extremamente emocionante, que vai, com toda certeza, tocar seu coração!

A história gira em torno de Caitlin, uma menina de dez anos de idade, portadora da Síndrome de Asperger, que perdeu seu irmão mais velho Devon em um tiroteio na escola.

Seu pai, devastado, chora muito sem saber ao certo como lidar com isso. Ela quer ajudar o pai, a si mesma e todos a sua volta, mas não sabe como captar o sentido. Introspectiva, Caitlin não gosta de olhar para as pessoas, nem que invadam seu espaço pessoal. Tendo dificuldades de se relacionar, ela recorre aos livros e dicionários e, após ler a definição da palavra “desfecho”, tem certeza de que é exatamente disso que ela e seu pai precisam.  E Caitlin está determinada a consegui-lo. Seguindo o conselho do irmão, ela decide trabalhar nisso, o que a leva a descobrir que nem tudo é realmente preto e branco, afinal, o mundo é cheio de cores; confuso, mas belo.

Se você pretende ler esse livro, seria interessante procurar saber um pouco mais sobre Síndrome de Asperger. Foi exatamente o que fiz! Trata-se de um transtorno neurobiológico que é enquadrado como uma parte do autismo leve. Os sintomas podem variar de pessoa para pessoa, e variam também de intensidade e gravidade. Os sinais mais comuns incluem: introspeção e problemas com habilidades sociais: crianças com Síndrome de Asperger geralmente têm dificuldade para interagir com outras pessoas e muitas vezes comportam-se de forma estranha em situações sociais (exatamente o caso da protagonista do livro); comportamentos egocêntricos; práticas incomuns; dificuldade de comunicação; além de habilidades e talentos extraordinários.

Caitlin apresenta todas essas características, muito bem pontuadas pela autora. O livro é emocionante por mostrar o dia a dia dessa menina inteligente, que estuda em uma escola pública despreparada para sua condição, e vivendo em um meio familiar emocionalmente abalado.

Esse livro é muito mais do que uma história triste sobre morte e superação. “Passarinha” é doloroso ao trazer lições de vida de uma forma poética. A narrativa, em primeira pessoa, mostra a visão de uma criança especial, seu modo de ver o mundo em preto e branco e sua jornada em busca de amigos, aceitação e o tão buscado “desfecho”. Eu me apaixonei pelo livro desde o início e foi uma leitura muito fluída.

Em resumo, “Passarinha” é um livro lindo e que merece ser lido. Um livro HUMANO. Uma verdadeira lição sobre luto, superação, amizade e empatia.

E pessoal, aproveitem e me sigam nas redes sociais 
Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange | Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange

Livro ▪ A Garota que lê no Metrô

Autora: Christine Féret-Fleury
Editora: Valentina
Páginas: 160
Skoob
Onde Comprar: Americanas | Submarino | Amazon

Oi gente!
Hoje vou compartilhar uma leitura rapidinha, mas que não foi o que eu esperava. Na verdade, nem tinha grandes pretensões e a leitura se mostrou bem morna.

Publicada pela editora Valentina, “A Garota que lê no Metrô”, de Christine Féret-Fleury, conta a história de Juliette, uma jovem e solitária parisiense que leva uma vida monótona trabalhando em uma imobiliária. Sua atividade favorita é andar de metrô e observar atentamente o que as pessoas estão lendo, assim passa a imaginar a vida dessa pessoa a partir do livro que está sendo lido.

Todos têm suas particularidades, como a idosa que folheia um livro italiano de culinária e sorri diante de algumas receitas ou a garota que lê romances e sempre derrama minúsculas lágrimas quando chega à página 247. Certo dia, a jovem decide romper com a rotina e usufruir o prazer de percorrer as ruas a pé, observando o formato das nuvens, com o olhar em busca do novo. E esse desvio mudará completamente a sua vida, graças ao iraniano Soliman e sua pequenina filha Zaïde, que a tornam uma “mensageira” dos livros.

Um alerta aos leitores, o livro possui gatilhos e um momento que aborda suicídio. Portanto, leiam conscientemente. Para mim, o ponto alto da obra são as referências e citações à livros clássicos da literatura. Ficava bem feliz quando reconhecia algo. Mas a história foi bem morna, havendo pouco desenvolvimento de alguns personagens.

Acho a proposta do livro super interessante, tanto que o comprei justamente por ter gostado da sinopse, ainda não conhecia ele, nem havia visto nenhuma resenha sobre. A leitura foi bem no escuro mesmo. Mas como falei, o desenvolvimento me incomodou, apesar da leitura ter fluido, li o livro rapidinho. No final, fiquei refletindo sobre os ensinamentos da vida, talvez por isso até tenha valido a pena.

Me digam se vocês já conheciam esse livro? O que acham da ideia de espalhar o hábito de leitura?

E pessoal, aproveitem e me sigam nas redes sociais 
Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange