Livro ▪ A Garota Alemã

Autor: Armando Lucas Correa
Editora: Jangada
Páginas: 408
Skoob
Onde Comprar: Americanas | Submarino | Amazon

Oi gente!
Hoje vou trazer para vocês uma dica de um livro incrível, que me emocionou bastante – “A Garota Alemã”, de Armando Lucas Correa, publicado pela Editora Jangada é baseado em uma história real e se passa no período da Segunda Guerra Mundial.

A história se passa em dois períodos e acompanha Hannah Rosenthal, de 11 anos, que tinha uma vida de contos de fadas. Ela passava as tardes no parque com seu melhor amigo, Leo Martin. Mas, agora, as ruas estão cheias de nazistas. Eles vislumbram uma esperança para sair desse inferno: o St. Louis, um transatlântico que pode propiciar aos judeus uma travessia segura para Cuba. Mas logo as circunstâncias da guerra mudam e o navio que era sua salvação agora parece ser a sua sentença de morte.

Alternando, vemos Anna Rosen ao fazer 12 anos. Vivendo em Nova York, a garota recebe um envelope misterioso de sua tia-avó Hannah, que criou seu pai falecido. O conteúdo do envelope inspira Anna e a mãe a viajarem a Cuba para conhecer Hannah e descobrir a verdade sobre o trágico passado da família.

Passando pelo presente e passado, a narrativa conta a história de Hannah e Anna, parentes que nunca haviam se visto antes, mas que carregavam muitas similaridades. Hannah viveu na Alemanha Nazista durante a 2ª Guerra Mundial, após conseguir fugir para Cuba junto à mãe. Já Anna, nunca conheceu o pai que faleceu durante o trágico 11 de Setembro. Ambas narram as histórias da família de forma comovente.

A escrita do autor Armando Lucas Correa é encantadora, me prendeu do início ao fim. Em alguns momentos fiquei angustiado com a história, mas não conseguia parar de ler, foi uma experiência muito interessante. E preciso destacar a amizade de Hannah e Léo – o ponto forte do livro. Léo foi um personagem extremamente carismático e que trouxe uma leveza à história. Tem um momento do livro que fiquei extremamente abalado e até agora ainda não superei.

Alguns livros me fazem chorar com o decorrer da trama e esse foi um deles. Até chegar à última página, me emocionei em vários momentos, talvez por ter lido em uma hora que não estou 100% bem, mas ainda assim, foi lindo. “A Garota Alemã” traz uma mensagem de sofrimento e superação e nos faz repensar tanta coisa. Uma leitura que vale a pena!

E pessoal, aproveitem e me sigam nas redes sociais 
Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange

Livro ▪ Aristóteles e Dante mergulham nas águas do Mundo

Autor: Benjamin Alire Sáenz
Editora: Seguinte
Páginas: 448
Skoob
Onde Comprar: Americanas | Submarino | Amazon

Oi gente!
Esse início de ano me dediquei às leituras e consegui ler várias coisas bacanas! Hoje vou falar sobre “Aristóteles e Dante mergulham nas águas do Mundo”, continuação de “Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo”, escrito por Benjamin Alire Sáenz e publicado pela Editora Seguinte. Confesso que essa leitura mexeu muito comigo e ainda estou digerindo certas coisas.

Nesta sequência, Ari e Dante vão lutar com todas as forças para transformar o mundo em um lugar onde possam ser livres juntos e sem medo. A vida de Aristóteles mudou completamente desde que conheceu Dante Quintana. Com Dante, Ari aprendeu a achar graça nas pequenas coisas da vida e descobriu o coração enorme que tem, capaz de amar muitas pessoas ― inclusive outro garoto. Agora, os dois estão prestes a começar o último ano do ensino médio e, mesmo sabendo que em breve terão que fazer escolhas importantes para o futuro, estão se abrindo para novos amigos, novos lugares e para as próprias famílias ― até que Ari sofre uma perda terrível e, mais do que nunca, precisará do apoio de Dante.

Vou começar dizendo que eu amei o primeiro livro e estava com grandes expectativas para esse, tanto que eu também gostei bastante da leitura. Mas foi uma experiência diferente, ainda não sei muito bem explicar. Eu não estava 100% bem psicologicamente e esse livro pegou em alguns pontos que estavam sensíveis. E o mais interessante foi como fui lidando com isso durante a leitura.

O livro segue os acontecimentos que encerraram o anterior e agora estamos no final da década de 80 com Ari e Dante apaixonados e vivendo o primeiro amor de ambos. Mas, junto com as descobertas desse relacionamento, eles também precisam lidar com seres humanos preconceituosos e situações conflitantes. Além disso, a narrativa retrata o período em que casos de AIDS se espalham pelo mundo e a doença é considerada doença de homossexuais.

Todo esse contexto serve para exemplificar a evolução dos personagens, principalmente Ari. Ele tem uma crescente incrível ao tentar lidar na sua relação com Dante, com suas amigas e principalmente com sua família, inclusive com o irmão. Acho que me assustei tanto porque me vejo muito na personalidade do Ari. E para mim, a forma como o autor desenvolveu a relação pai e filho, foi algo que mexeu muito comigo. Chegando ao final, não havia como não me emocionar e resolvi me permitir sentir certas angústias.

“Aristóteles e Dante mergulham nas águas do Mundo” discute a necessidade do perdão e a importância do diálogo entre pais e filhos, também fala sobre aceitação e sentimento de pertencimento. É um livro cativante e vale muito a pena a leitura!

E pessoal, aproveitem e me sigam nas redes sociais 
Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange | Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange

Livro ▪ Os Primos

Autora: Karen M. McManus
Editora: Galera Record
Páginas: 384
Skoob
Onde Comprar: Americanas | Submarino | Amazon

Oi gente!
Comecei esse ano com uma leitura que me agradou bastante, apensar de algumas ressalvas que vou fazer! “Os Primos”, da Galera Record, escrito pela Karen M. McManus foi uma experiência interessante, misturando drama adolescente e mistério.

A história gira em torno dos primos Milly, Aubrey e Jonah, que recebem um convite inusitado: passar o verão no resort da avó que nunca viram na vida. Seus pais acreditam que é a oportunidade perfeita para fazer as pazes com a rica e excêntrica Mildred Story, que cortou relações com todos há mais de duas décadas sem maiores explicações. Mas ao chegarem lá, os primos percebem que a família guarda muitos segredos. E eles irão tentar desvendar todos.

Mildred Story deserdou todos os filhos por meio de cartas que apenas diziam: “Vocês sabem o que fizeram”. Sem terem certeza se a melhor opção para as férias é passar tempo com estranhos, os três hesitam. Mas seus pais são enfáticos: não ir está fora de cogitação. A oportunidade de reconquistar a mãe – e parte da fortuna – é grande demais para ser desperdiçada. Só que ao chegarem à ilha Gull Cove, os primos têm uma surpresa, a avó não parece estar tão satisfeita assim em vê-los. Os primos se acomodam em seus empregos e passam a se conhecer melhor, mas não demora para suspeitarem de que há um segredo obscuro conectado à história da família Story.

Já falei de vários livros da autora Karen M. McManus aqui no blog (incluindo “Um de nós está mentindo”), e todos eles sempre foram boas opções de leitura. Eu curto bastante a escrita dela e as histórias me prendem a ponto de querer saber logo o que acontecerá. Aqui não foi diferente. Desde o início a autora já indica que algo não está certo e que há um grande segredo por trás da avó misteriosa.

O livro é narrado pelos três primos – cada um conta seu ponto de vista em um capítulo. Milly é a famosa sabichona que irrita um pouco, mas da metade para o final fui gostando dela. Aubrey é mais meiga e que conquista logo de cara. Por fim, Jonah tem um ar arrogante e misterioso e também guarda um segredo, que me surpreendeu. Acho que ele foi o melhor personagem desenvolvido ao logo da trama.

A história estava levando para um caminho e quando descobrimos o verdadeiro plot twist, fica um pouco difícil acreditar na veracidade daquilo. Achei o final um pouco forçado – o que acontece é algo que não teria a menor chance de acontecer na vida real, até porque tem vários furos. Mas de um modo geral, o mistério me prendeu até o fim, a narrativa é bem dinâmica e os personagens são interessantes. “Os Primos” mantem a força da autora, que não para! Logo tem livro novo dela, vamos aguardar se será no mesmo estilo de suspense e drama juvenil.

E pessoal, aproveitem e me sigam nas redes sociais 
Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange | Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange

Livro ▪ Uma Mulher na Escuridão

Autor: Charlie Donlea
Editora: Faro Editorial
Páginas: 304
Skoob
Onde Comprar: Americanas | Submarino Amazon

Oi gente!
A última leitura de 2021 (que na verdade finalizei em 2022) foi “Uma Mulher na Escuridão” – suspense de Charlie Donlea, publicado pela Faro Editorial. A história foi bem interessante e me prendeu, apesar de ter abandonado um pouco a leitura para descansar no finalzinho do ano.

Ao limpar o escritório de seu pai falecido há uma semana, a investigadora forense Rory encontra pistas e documentos ocultados da justiça que a fazem mergulhar num caso sem solução ocorrido 40 anos atrás. No verão de 1979, cinco mulheres de Chicago desapareceram. O predador, apelidado de Ladrão, não deixou nenhum corpo ou pista — até que a polícia recebeu um pacote enviado por uma mulher misteriosa chamada Angela Mitchell, cujas habilidades de investigação levaram à sua identidade: o próprio marido! Mas antes que a polícia pudesse interrogá-la, Angela desapareceu. Agora, Rory descobre que o Ladrão está prestes ser posto em liberdade condicional.

Sendo um ex-cliente de seu pai, Rory reluta em representar o assassino, que continua afirmando não ter matado a esposa. Agora o acusado deseja que Rory faça o que seu pai prometeu: provar que ela ainda está viva. Enquanto Rory começa a reconstruir os últimos dias de Angela, outro assassino emerge das sombras, replicando o mesmo modus operandi daqueles assassinatos. A cada descoberta, Rory se enreda mais no enigma de Angela Mitchell, e na mente atormentada do Ladrão.

Eu já havia lido outra obra do autor (“A Garota do Lago”) e gostei bastante, portanto tinha expectativas boas, que se confirmaram, de certa forma. O suspense é bom, prende atenção, porém não gostei de alguns desenvolvimentos. O início da história é um pouco confuso. A narrativa se passa no presente sendo contada pela Rory e no passado com Angela. Porém, antes das histórias se cruzarem, Rory pega um outro caso de investigação e, do nada, ela praticamente esquece esse caso, deixa de lado para focar na história de Angela e fica por isso mesmo. O livro chega ao final e não há uma conclusão para isso. Não sei se haverá uma sequência desse livro para contar mais, porém foi algo bem frustrante.

Mas de um modo geral, o mistério em torno de Angela e seu marido é o ponto forte do livro. Eu gostei mais dos capítulos narrados no passado. E uma das especialidades do autor são as reviravoltas. É incrível a capacidade que ele tem de surpreender. O desenvolvimento do livro possui um plot que eu não estava esperando, o que deixou a leitura mais densa e interessante.

“Uma Mulher na Escuridão” não entrou na lista das melhores leituras do ano, mas cumpriu seu papel em entreter e entregou um suspense até que interessante, com tensão e reviravoltas. E ainda pretendo ler outros livros do autor! Qual vocês indicam?

E pessoal, aproveitem e me sigam nas redes sociais 
Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange

Livro ▪ Todas as Cores do Céu (Projeto Lendo o Mundo)

Autora: Amita Trasi
Editora: Harper Collins
Páginas: 384
Skoob
Onde Comprar: Americanas | Submarino Amazon

Oi gente!
Continuando o Projeto “Lendo o Mundo” – aquele que leio livros de todos países para conhecer a literatura, cultura e tradições desses locais – hoje é o dia de falar da obra “Todas as Cores do Céu”, que representa a Índia

A história gira em torno de Mukta, uma criança de 10 anos que já nasceu com seu destino traçado. Descendente de Devadasis, a menina deve cumprir com o ritual e se tornar uma serva da deusa hindu Yellamma, que a torna uma prostituta. Contudo, Mukta vê sua vida mudar totalmente, quando um desconhecido a leva embora para morar com sua família em Mumbai, após a morte de sua mãe. Ao fazer amizade com Tara, filha de seu benfeitor, a menina encontra na amizade, forças para superar tudo o que passou. Todavia, a amizade fica abalada e as garotas se veem separadas após um sequestro.

Anos depois, vivendo nos Estados Unidos, Tara retorna à Índia após a morte do pai para encontrar a amiga que, ao que tudo indica, foi submetida novamente à prostituição. Mas a extrema pobreza em Bombaim se mostra uma realidade mais difícil do que Tara consegue suportar.

“Todas as Cores do Céu” é um relato emocionante e realista da Índia contemporânea, explorando assuntos tocantes como a prostituição infantil e mostrando como o sistema de castas explora os mais fracos. A autora indiana Amita Trasi soube criar um ótimo enredo e conseguiu desenvolver muito bem suas personagens, incluindo uma ótima virada na história.

Pensar que esta é a realidade de diversas garotas na Índia torna o livro ainda mais tocante, a ponto de ser angustiante e nos tirar da zona de conforto em vários momentos. As questões culturais do país estão presentes ao longo da narrativa, fazendo com que o leitor vá aprendendo um pouco sobre as tradições da Índia.

Eu adorei a leitura e, com certeza, foi uma das melhores desse projeto até agora. Cumpriu o seu papel! Emocionante, “Todas as Cores do Céu” merece ser lido, principalmente por trazer uma reflexão sobre a vida, família e perdão.

E pessoal, aproveitem e me sigam nas redes sociais 
Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange | Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange

Livro ▪ Os Segredos de Colin Bridgerton

Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 336
Skoob
Onde Comprar: Americanas | Submarino | Amazon

Oi gente!
E a minha saga pela leitura da série Bridgertons continua! Ainda em 2021 li “Os Segredos de Colin Bridgerton”, quarto livro escrito pela Julia Quinn, que retrata agora a história amorosa do irmão Colin. E preciso confessar que estava bem ansioso por essa leitura.

Há muitos anos Penelope Featherington frequenta a casa dos Bridgertons. E há muitos anos alimenta uma paixão secreta por Colin, irmão de sua melhor amiga e um dos solteiros mais encantadores e arredios de Londres. Quando ele retorna de uma de suas longas viagens ao exterior, Penelope descobre seu maior segredo por acaso e chega à conclusão de que tudo o que pensava sobre seu objeto de desejo talvez não seja verdade. Ele, por sua vez, também tem uma surpresa: Penelope se transformou, de uma jovem sem graça ignorada por toda a alta sociedade, numa mulher dona de um senso de humor afiado e de uma beleza incomum.

Ao deparar com tamanha mudança, Colin, que sempre a enxergara apenas como uma divertida companhia ocasional, começa a querer passar cada vez mais tempo a seu lado. Quando os dois trocam o primeiro beijo, ele não entende como nunca pôde ver o que sempre esteve bem à sua frente. No entanto, quando fica sabendo que ela guarda um segredo ainda maior que o seu, precisa decidir se Penélope é sua maior ameaça ou a promessa de um final feliz.

Bom, fazendo uma analise das leituras até então – “O Visconde que me Amava” e “Um Perfeito Cavalheiro” foram os meus preferidos e, como disse anteriormente, a expectativa para “Os Segredos de Colin Bridgerton” estava alta visto que Penélope é minha personagem preferida! E eu até gostei do livro, porém não foi tudo o que eu esperava.

Como as leituras anteriores, essa não foi diferente. A escrita de Julia Quinn me agrada muito e eu não conseguia largar o livro. Mas acho que por já saber o grande segredo da história, o clímax acabou não sendo tão interessante. Mas, ainda assim, acho incrível a revelação que acontece e todo o seu contexto! Não vou dar spoilers para quem ainda não leu ou não viu a série da Netflix!

O ponto central do livro é que Colin não sabe definir o que sente por Penélope, enquanto ela sabe que o ama, mas custa a aceitar que um dia ele será capaz de sentir o mesmo por ela. Muito interessante como a autora explora a autoestima e os preconceitos tão comuns à sociedade do século XIX.

No contexto geral, foi uma ótima leitura, a história é deliciosa, porém não assumiu a posição de favorito da série como achei que fosse ser, mas ainda assim me emocionou ao longo dos capítulos. E, para variar, já estou ansioso pelo próximo volume!

E pessoal, aproveitem e me sigam nas redes sociais 
Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange | Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange

Livro ▪ Os Sete Maridos de Evelyn Hugo

Autora: Taylor Jenkins Reid
Editora: Paralela
Páginas: 360
Skoob
Onde Comprar: Americanas Submarino | Amazon

Oi gente!
Hoje vou falar de mais uma leitura que eu curti bastante em 2021. “Os Sete Maridos de Evelyn Hugo”, da Taylor Jenkins Reid, me surpreendeu positivamente ao tratar de um assunto que adoro – o cinema e seus bastidores.

Após ler “Daisy Jones and the Six” e me encantar com a escrita da Taylor, a expectativa para Evelyn Hugo estava altíssima e a experiência foi tão boa quanto imaginava. A história gira em torno da lendária estrela de Hollywood, Evelyn Hugo, que sempre esteve sob os holofotes — seja estrelando uma produção vencedora do Oscar, protagonizando algum escândalo ou aparecendo com um novo marido… pela sétima vez. Agora, prestes a completar oitenta anos e reclusa em seu apartamento no Upper East Side, a atriz decide contar a própria história, mas com uma condição: que Monique Grant, jornalista iniciante e até então desconhecida, seja a entrevistadora. Ao embarcar nessa misteriosa empreitada, a jovem repórter começa a se dar conta de que não foi escolhida por acaso e que suas trajetórias podem estar profunda e irreversivelmente conectadas.

Narrado em primeira pessoa, o livro nos leva à história Monique e sua situação atual. A jornalista está passando por um divórcio recente e sofrendo com a separação quando começa a entrevistar Evelyn Hugo. Então, a partir da entrevista, a narrativa, também em primeira pessoa, se desloca para o passado da atriz e seus amores. Evelyn Hugo é uma figura que cativa por todos seus defeitos e qualidades, mas, principalmente, pela sinceridade e clareza.  Ela é alguém que lutou pelos seus sonhos e fez tudo aquilo que foi preciso para chegar onde chegou.

Os personagens são bem construídos e possuem relevância na história. A narrativa também é interessante, prendendo a atenção do leitor em cada capítulo. “Os Sete Maridos de Evelyn Hugo” é um livro que tem representatividade racial, sexual e nos mostra, no decorrer dos anos, o quanto cada uma dessas lutas teve que avançar para chegar no que é hoje. Foi uma leitura favoritada!

E pessoal, aproveitem e me sigam nas redes sociais 
Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange

Livro ▪ Jogos de Herança

Autora: Jennifer Lynn Barnes
Editora: Alt
Páginas: 432
Skoob
Onde Comprar: Americanas | Submarino | Amazon

Oi gente!
Uma das melhores leituras de 2021 foi com certeza “Jogos de Herança”, da editora Alt, escrito pela Jennifer Lynn Barnes. Para quem já assistiu, a história lembra muito o filme “Entre Facas e Segredos”, misturando muita investigação e mistério.

Avery Grambs tem um plano para um futuro melhor: sobreviver ao ensino médio, ganhar uma bolsa de estudos e garantir sua independência. Mas sua sorte muda no instante em que o bilionário Tobias Hawthorne morre e deixa toda a sua fortuna para ela… sendo que ela não tem ideia do porquê – ou mesmo de quem ele é. Para receber a herança, Avery deve se mudar para a enorme Casa Hawthorne, onde cada cômodo tem o toque do magnata – e seu amor por quebra-cabeças, enigmas e códigos. Infelizmente, a mansão também é ocupada pela família que Tobias Hawthorne acabou de despojar, incluindo os quatro netos do bilionário: garotos perigosos, magnéticos e brilhantes que cresceram com a expectativa de que um dia herdariam bilhões. Enquanto o herdeiro Grayson Hawthorne está convencido de que Avery é uma vigarista, seu irmão, Jameson, a vê como o último mistério de seu avô: um enigma a ser resolvido.

A escrita da autora me conquistou desde o primeiro momento, não conseguia parar de ler! Toda a trama é bem construída e os personagens são cativantes. O mistério acerca da herança prendeu minha atenção e as ligações dos protagonistas para resolverem foi o ponto alto da história. Além disso, a trama possui algumas questões do passado de todos os personagens, o que eleva ainda mais a curiosidade. O ritmo é acelerado e quando você percebe, todas as peças do quebra-cabeça se encaixam. Adorei as vibrações que a história passa: as contradições em torno dos Hawthornes, as mudanças repentinas na vida de Avery e porquê um homem deixou tudo para uma estranha ao invés da sua própria família.

E pesquisando, descobri que haverá continuação. Já estou aguardando ansiosamente!

E pessoal, aproveitem e me sigam nas redes sociais 
Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange

Livro ▪ Cova 312

Autora: Daniela Arbex
Editora: Geração
Páginas: 344
Skoob
Onde Comprar: Americanas | Submarino | Amazon

Oi gente!
Fazia tempo que queria mergulhar na literatura de Daniela Arbex, jornalista dedicada à defesa dos direitos humanos e autora do best seller “Holocausto Brasileiro”. Assim, resolvi ler “Cova 312”, segundo livro-reportagem da autora, que retrata a ditadura militar no Brasil, por meio de relatos reais e dolorosos de um dos períodos mais tristes do país.

O livro surgiu após uma matéria publicada pela jornalista no jornal Tribuna de Minas, retratando a história do guerrilheiro Milton Soares de Castro, que foi o único morto na penitenciária de Linhares, em Juiz de Fora, cujo corpo nunca fora encontrado, até então. Daniela fez uma investigação abrangente: localizou parentes de Milton, contou histórias de amigos que estiveram com ele na Serra do Caparaó – missão que levou o guerrilheiro à prisão, apresentou documentos, fotografias e depoimentos de pessoas que trabalharam no presídio.

Milton nasceu em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, vindo de uma família de dez filhos. Começou a trabalhar cedo para ajudar a mãe a cuidar dos irmãos. Aos 26 anos, se tornou integrante da guerrilha que se instalaria na Serra do Caparaó, no Espírito Santo, divisa com Minas. Enfrentando extremo frio, fome e medo, a iniciativa não deu certo e todos que lá estavam foram presos e enviados à Penitenciária de Linhares, que viria a ser um dos maiores presídios da ditadura. Ali, homens e mulheres considerados “rebeldes” foram presos e torturados, porém se tem notícia de apenas uma morte: a de Milton Soares de Castro em 1967. A morte foi marcada como suicídio. Ninguém acreditava, mas o corpo de Milton desapareceu e, portanto, uma revisão do caso nunca foi possível.

O livro possui uma narrativa abrangente, já que a autora conta histórias de outros presos, traçando uma linha temporal anterior ao período de militância e sempre fazendo um paralelo com a história de Milton. A investigação jornalística levou Daniela a vários cantos do país para tentar encontrar a verdade e, finalmente, trazer paz à família do guerrilheiro.

A linguagem apresentada é bem objetiva e traz emoção ao leitor. Impossível não se sentir próximo das situações e vivenciar a dor dos horrores. Eu lia cada capítulo com vontade de saber como tudo iria acabar, e como sou jornalista também, esse livro me pegou do início ao fim. É inspirador! Com seu trabalho e pesquisa, a jornalista conseguiu não apenas escancarar feridas da ditadura, como também fez com o governo alterasse a certidão de óbito de Milton dando sua causa de morte como homicídio. Pode parecer pouco 50 anos depois, mas é um ganho significativo em um país que teima em fingir que episódios tenebrosos como esse não aconteceram.

Vencedor do Prêmio Jabuti em 2016, “Cova 312” é um livro incrível, extremamente forte e que merece ser lido!

E pessoal, aproveitem e me sigam nas redes sociais 
Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange

Livro ▪ Sempre teremos o Verão

Autora: Jenny Han
Editora: Intrínseca
Páginas: 240
Skoob
Onde Comprar: Americanas | Submarino | Amazon

Oi gente!
E finalizando a trilogia Verão, da autora Jenny Han, hoje teremos resenha de “Sempre Teremos o Verão”, publicado pela editora Intrínseca.

No primeiro livro (“O Verão que mudou minha Vida”) acompanhamos Belly aproveitando suas férias e descobrindo sobre o primeiro amor. No segundo (“Sem você não é Verão”), a protagonista está mais adulta e tem o seu coração dividido entre os irmãos Fisher, sem saber por qual caminho seguir. E agora no último, parece que ela finalmente deixou todo o passado e suas indecisões para trás.

Agora vemos Belly ao lado de Jeremiah e, ao que tudo indica, Conrad já virou passado. Jenny Han conseguiu imprimir uma maturidade maior nos personagens, que evoluíram bastante. Belly e Jeremy estão na faculdade e possuem responsabilidades, até que um segredo dele vem à tona e muda toda a situação. Ainda muito insegura, Belly tenta seguir em frente e decide se casar com ele, mesmo com toda a família tentando convencê-los do contrário, já que eles ainda são muito jovens e possuem todo um caminho pela frente. Indo contra tudo e todos, Jeremiah e Belly iniciam o planejamento do casamento, que será realizado em Cousins, lugar onde Conrad está passando o verão. O que ninguém esperava é que o mal humorado Conrad iria mudar tanto e finalmente aceitar que ama Belly. Mas, agora chegou a hora dela tomar uma decisão e escolher entre ficar com um e magoar o outro.

A situação de um triângulo amoroso nunca é fácil, ainda mais quando se trata de irmãos. No entanto, sempre esteve claro de quem Belly realmente gostava – o que ela nunca quis foi tomar uma decisão e correr o risco de perder o outro definitivamente. Gostei de como foi tratada a relação mãe e filha nesse livro. Laurel não aceitou bem o casamento de Belly e ambas tiveram vários momentos de altos e baixos, mas o amor entre elas prevaleceu e ainda tivemos uma grande ajuda de Susannah, que ainda continua sendo a melhor personagem da trilogia, mesmo não estando mais entre eles. Foi bacana perceber o significado de família para todos os personagens, que aprenderam muito com as dores, luto e o amor ao longo dos capítulos.

Como falei nas resenhas anteriores, me irritei com vários personagens ao longo dos livros, mas ainda assim foram leituras positivas. A trilogia é bem leve e divertida. E as edições da Intrínseca estavam maravilhosas. Fazendo o balanço final, foi bacana acompanhar a história. E já queria uma adaptação logo!

E pessoal, aproveitem e me sigam nas redes sociais 
Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange | Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange