#Livro | Quatro Estações em Roma

Anthony Doerr recebeu muitos prêmios ao longo da carreira, entre eles o Rome Prize, uma das mais importantes premiações da Academia Americana de Artes e Letras, que inclui ajuda de custo, um apartamento e um estúdio para escrever na Itália. “Quatro Estações em Roma” nasceu das memórias dos doze meses que o autor passou na cidade, em meio aos cuidados com os filhos bebês, uma insônia constante e o misto de deslumbramento e estranheza de um estrangeiro no dia a dia da capital italiana.

Autor: Anthony Doerr
Editora: Intrínseca
Número de Páginas: 240
Skoob
Onde Comprar: Americanas | Submarino | Saraiva | Fnac

“Como sempre acontece quando se está longe de casa, são os detalhes que nos fazem sentir deslocados”. Assim Anthony Doerr, autor do premiado “Toda luz que não podemos ver”, descreve a sensação de se mudar inesperadamente do interior dos Estados Unidos para Roma, com os filhos e a esposa. Doerr passou um ano na capital italiana após receber um prêmio da Academia Americana de Artes e Letras, que incluía ajuda de custo, um apartamento e um estúdio para escrever na Itália. As recordações desse período estão em “Quatro estações em Roma”.

O estranhamento de Doerr com o novo país começa logo na chegada: a cozinha do apartamento não tem forno. As janelas não têm telas. Ao contrário do que ocorre nos Estados Unidos, as verduras e frutas são vendidas em feiras ao ar livre, e não em um supermercado. Para Doerr, Roma é um mistério: um outdoor de uma marca de roupas tremulando na fachada de uma igreja de quatrocentos anos, uma construção comum ao lado de uma obra-prima da arquitetura. Em meio a tudo isso, ele cuida dos filhos, lida com uma insônia que parece não ceder e tenta, sem muito sucesso, escrever um novo romance — “Toda luz que não podemos ver”, lançado sete anos mais tarde e que acabaria rendendo ao autor o Pulitzer de ficção.

O livro é dividido em quatro partes correspondentes às quatro estações do ano, cada uma tendo relatos de diversas situações vividas pela família. Quando comprei o livro achei que fosse ser mais para o lado do romance, mas era em estilo de memórias – o que me surpreendeu. É muito interessante saber como os escritores pensam durante o processo de criação de um livro ou projeto. Achei a premissa super bacana. Inclusive a escrita de Anthony Doerr também é ótima – ele consegue descrever com perfeição as suas lembranças, tanto que conseguimos visualizar tudo! Mas… sempre tem um “porém”. Em vários momentos eu ficava com raiva do autor. Imagina você ser convidado para passar um ano em Roma – uma cidade lindíssima, berço da arquitetura, da arte e da moda. E na maior parte do livro, o autor só reclama… Se eu fosse convidado para morar na Itália, eu ia amar conhecer as igrejas, praças, as obras de Michelangelo, Rafael, Benini, entre tantos outros artistas. Tudo bem que sair de sua terra natal para morar em um país com outros costumes e tradições pode ser bem estranho, mas em muitos momentos temos a impressão de que ele está lá por obrigação, como se fosse forçado a isso, e não por vontade própria.

Mas isso é o que faz “Quatro Estações em Roma” ser um livro verdadeiro. Ninguém tem a obrigação de gostar dessa situação ou conseguir se adaptar à momentos controversos com facilidade. E isso faz com que, em muitas passagens, nós leitores tenhamos a sensação de proximidade com o escritor, como se fossemos amigos dele e estivéssemos escutando um desabafo.

Além disso, Anthony Doerr esteve na Itália quando ocorreram diversas coisas como a morte do papa João Paulo II. Com certeza, a descrição dessa passagem é a melhor parte do livro. Outros destaques são os pequenos relatos diários, pequenos pensamentos e reflexões que o autor decide compartilhar, geralmente envolvendo os filhos gêmeos – como por exemplo, os seus primeiros passos, primeiras palavras e os passeios por alguns pontos turísticos.

  • Priih

    Oie, tudo bem? Adorei a dica! As fotos também. ;) Beijos, Priih Infinitas Vidas

  • Aline Nascimento

    Oi Felipe, Tudo bem? Não conhecia essa obra, parece ser uma relato bem interessante mesmo, mas também concordo com vc como pode ser convidado para passar um ano nessa cidade linda e não gostar rsrs, mas cada um tem seu ponto de vista né... Ótima dica. Divagando Palavras www.divagandopalavras.com

    • Felipe Lange

      Aline, eu iria amar a experiência haha

  • Betânia Duarte

    Imagina que sonho ser convidado para ficar um ano em Roma? Nossa. Mas eu confesso que sentiria uma raiva do autor se eu lesse o livro, já que você disse que ele reclama bastante... Apesar de parecer bem interessante, não sei se leria. Itália é o meu destino dos sonhos e quero continuar com pensamentos ótimos sobre o lugar. Beijo! Sorriso Espontâneo

    • Felipe Lange

      Betânia, ainda reclamando ele aproveita bem os lugares incríveis de Roma. A melhor parte é a visita ao Vaticano.

  • Priscila Tavares

    Oi Felipe! Que legal a divisão do livro ser por estação do ano. Sempre é bom quando acabamos lendo uma história e nos surpreendendo com ela. Fiquei curiosa para conhecer as lembranças dessa família. Beijokas Quanto Mais Livros Melhor

    • Felipe Lange

      Pri, adorei essa divisão, ajudou bastante para me organizar na leitura.

  • Anne

    Que interessante. Eu nunca tinha ouvido falar do livro. Realmente, se eu saísse daqui eu estaria dando pulos de alegria, e não reclamando! Rs Literatura Estrangeira

  • Camila Faria

    Eu li Toda luz que não podemos ver e gostei muito. CLARO que fiquei super interessada nesse novo livro dele, vou colocar aqui na minha listinha de desejados. Um beijo!

    • Felipe Lange

      Camila, o Doerr é incrível! Vale a pena conferir sua obra.

  • Michele Lima

    Oi Felipe!! Tudo bem? Não estou muito acostumada com o estilo de memórias, mas sem dúvida a premissa em agrada bastante, assim como o fato de vc ter conseguido visualizar tudo muito bem me anima tb! Gostei da dica! Bjs, Mi O que tem na nossa estante

    • Felipe Lange

      Mi, o livro expõe muito bem as sensações... é a melhor parte!

  • Lia Christo

    Oi Felipe, tudo bem? Não conhecia o autor e nem mesmo tinha escutado falar sobre o livro, mas achei a premissa interessante. Que bom que você curtiu a leitura e tirou boas experiências dela. Eu amaria ser convidada para ficar um ano na Itália, mas como você mesmo comentou em sua resenha, nem todo mundo pensa igual. Abraço. www.docesletras.com.br

    • Felipe Lange

      Lia, ir pra Itália é um sonho!!! Uma dica: as obras desse autor são boas!

  • Stéphanie Segal

    Fiquei curiosa com esse livro.

  • Denise

    Oi Felipe, tudo bom? Vi esse livro quando comprei Toda Luz que Não Podemos Ver, a Amazon sugeriu pra mim. Gostei bastante da premissa, parece o tipo de história que prende e te encanta do começo ao fim. Adoro quando o autor passa diversas sensações durante a leitura; torna a imersão na história muito mais fácil. Tá na listinha de 'ler em breve'! Amei a resenha. Beijos, Denise Flaibam. www.queriaestarlendo.com.br

    • Felipe Lange

      Denise, leia sim! A experiência é bem bacana.

  • Marla Almeida

    Oi Felipe, tudo bem! Não sou muito fã desse gênero de livro, mas ainda sim fiquei curiosa para saber porque o autor achou tanta dificuldade em se adaptar ao novo lar . Ótima Resenha!! *bye* Marla http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    • Felipe Lange

      Marla, o processo de adaptação do autor foi bem intenso mesmo! Quando puder, leia o livro sim!!

  • Ane Reis

    Oie Felipe =) Não conhecia o livro, mas adoro narrativas que se passam em cidades antigas e histórias como Roma *-* E pela sua resenha deu para perceber que o autor passou uma mensagem bem importante durante o desenvolvimento do enredo. Beijos;*** Ane Reis | Blog My Dear Library.

    • Felipe Lange

      Ane, também adoro narrativas em cidades antigas!

  • Luiza Helena Vieira

    Oi, Felipe! Por mais que seja verdadeiro essa mudança e não ser obrigado a gostar de tudo, eu ia me estressar bastante com o autor reclamando e não aproveitando Roma haahhaha Beijos Balaio de Babados

    • Felipe Lange

      Luiza, fiquei bem nervoso com isso haha

  • Talyta Xavier

    Oi, tudo bem? Nossa não conhecia o livro e nem o autor, mas gostei bastante da resenha, demonstra ser uma história fascinante. Sempre que você poder dá uma passadinha lá no meu blog, que eu passo aqui! Beijos ^_^ Desvendando Segredos | Facebook

    • Felipe Lange

      Talyta, obrigado pelo comentário! Estarei sempre no seu blog!

  • Edna Baptista

    Não conhecia por acaso. Achei interessante :) Beijinho* The best of me

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *