Livro ▪ Cova 312

Autora: Daniela Arbex
Editora: Geração
Páginas: 344
Skoob
Onde Comprar: Americanas | Submarino | Amazon

Oi gente!
Fazia tempo que queria mergulhar na literatura de Daniela Arbex, jornalista dedicada à defesa dos direitos humanos e autora do best seller “Holocausto Brasileiro”. Assim, resolvi ler “Cova 312”, segundo livro-reportagem da autora, que retrata a ditadura militar no Brasil, por meio de relatos reais e dolorosos de um dos períodos mais tristes do país.

O livro surgiu após uma matéria publicada pela jornalista no jornal Tribuna de Minas, retratando a história do guerrilheiro Milton Soares de Castro, que foi o único morto na penitenciária de Linhares, em Juiz de Fora, cujo corpo nunca fora encontrado, até então. Daniela fez uma investigação abrangente: localizou parentes de Milton, contou histórias de amigos que estiveram com ele na Serra do Caparaó – missão que levou o guerrilheiro à prisão, apresentou documentos, fotografias e depoimentos de pessoas que trabalharam no presídio.

Milton nasceu em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, vindo de uma família de dez filhos. Começou a trabalhar cedo para ajudar a mãe a cuidar dos irmãos. Aos 26 anos, se tornou integrante da guerrilha que se instalaria na Serra do Caparaó, no Espírito Santo, divisa com Minas. Enfrentando extremo frio, fome e medo, a iniciativa não deu certo e todos que lá estavam foram presos e enviados à Penitenciária de Linhares, que viria a ser um dos maiores presídios da ditadura. Ali, homens e mulheres considerados “rebeldes” foram presos e torturados, porém se tem notícia de apenas uma morte: a de Milton Soares de Castro em 1967. A morte foi marcada como suicídio. Ninguém acreditava, mas o corpo de Milton desapareceu e, portanto, uma revisão do caso nunca foi possível.

O livro possui uma narrativa abrangente, já que a autora conta histórias de outros presos, traçando uma linha temporal anterior ao período de militância e sempre fazendo um paralelo com a história de Milton. A investigação jornalística levou Daniela a vários cantos do país para tentar encontrar a verdade e, finalmente, trazer paz à família do guerrilheiro.

A linguagem apresentada é bem objetiva e traz emoção ao leitor. Impossível não se sentir próximo das situações e vivenciar a dor dos horrores. Eu lia cada capítulo com vontade de saber como tudo iria acabar, e como sou jornalista também, esse livro me pegou do início ao fim. É inspirador! Com seu trabalho e pesquisa, a jornalista conseguiu não apenas escancarar feridas da ditadura, como também fez com o governo alterasse a certidão de óbito de Milton dando sua causa de morte como homicídio. Pode parecer pouco 50 anos depois, mas é um ganho significativo em um país que teima em fingir que episódios tenebrosos como esse não aconteceram.

Vencedor do Prêmio Jabuti em 2016, “Cova 312” é um livro incrível, extremamente forte e que merece ser lido!

E pessoal, aproveitem e me sigam nas redes sociais 
Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange

  • vanessa

    Olá! É um livro que eu não conseguiria terminar de ler. Acho que nem pegaria na verdade. A edição é bonita mas, o estilo não é o meu preferido e eu acabo abandonando. Abraços. https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

  • Emerson

    Fiquei curioso em ler o livro. Faz tempo que não leio nada do gênero. Boa semana e Feliz Ano Novo! Jovem Jornalista Instagram Até mais, Emerson Garcia

  • Leyanne

    Oie, que proposta intrigante. Ainda não conhecia a obra. Bjs Imersão Literária

  • vanessa

    Olá! Deve ser um livro tocante a ao mesmo tempo triste pelo tanto de abordagem e histórias que o livro nos trás. No momento eu não leria, estou priorizando no momento livros felizes e/ou livros que me tragam ensinamentos nesse mês de janeiro. Abraços. https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *