#Livro | Mrs Dalloway

Autora: Virgínia Woolf
Editora: Martin Claret
Páginas: 264
Skoob
Onde Comprar: Americanas | Submarino | Amazon

Oi gente!
Durante o mês de março, em que comemoramos o Dia Internacional da Mulher, me propus a ler apenas livros clássicos escrito por mulheres! Já falei de “Orgulho e Preconceito” (AQUI) e hoje vou trazer “Mrs Dalloway”, de Virgínia Woolf.

Já adianto que ler Virgínia Woolf não é fácil. É preciso absorver e sentir a história, a técnica da escrita, a mensagem subliminar. O enredo, aparentemente simples, conta um dia na vida de Clarisse Dalloway, uma dona de casa rica que dará uma festa a noite e percorre as ruas londrinas cuidando dos preparativos para o evento. Mas Woolf nos traz algo diferente, pois os elementos presentes na história não se resumem ao cotidiano da personagem principal ou ao que ela vê nas ruas de Londres. Apesar das preocupações da personagem principal se concentrarem na festa que dará a noite, memórias do seu passado retornam à sua mente e ocupam seus pensamentos de maneira intensa. Ao mesmo tempo, acompanhamos a vida corriqueira de outros personagens como o ex-combatente Septimus Warren Smith. Ambas histórias irão se fundir em um momento do livro.

O leitor tem um vislumbre íntimo da mente humana enquanto são expostos os pensamentos, sonhos, angústias e paixões dos personagens. Uma das obras-primas de Virginia Woolf, Mrs. Dalloway foi publicado pela primeira vez em 1925 e se manteve relevante na literatura britânica e mundial ao tratar de assuntos que abrangem desde as nuances dos relacionamentos em nosso dia a dia até transtornos decorrentes de traumas de guerra.

Hoje lemos um romance que foi recusado em sua época, criticado por ultrapassar as barreiras da literatura. A escrita de Woolf possibilita ao leitor ter uma percepção diferente da literatura padrão, pois temos pontos de vistas diversos, seja da percepção do mundo externo, um grito do mundo interno da personagem principal, uma reflexão ou personagens secundários que ganham espaço em meio a estímulos ou mesmo a lembranças.

Outra técnica que a autora utilizou com perfeição foi utilizar na narrativa em 3ª pessoa, que significa que a voz do narrador e dos personagens se confundem, já que o narrador assume o lugar desses personagens em seus pensamentos. A utilização de flashbacks também nos auxilia a compreender a trajetória de Clarisse.

Virgínia Woolf (1882-1941) é uma das escritoras fundadoras do movimento conhecido como modernismo inglês. Em seus trabalhos podemos perceber uma crítica a sociedade patriarcal. Ao olharmos para a personagem principal, podemos ver uma mulher que, ao se casar, larga seus sonhos para se tornar uma “boa esposa”, uma “boa anfitriã”. Mrs. Dalloway retrata a Inglaterra do começo do século XX e a relação de opressão entre o homem e a mulher, assim a autora critica a moral da época.

Uma dica que dou: leia este livro com calma. Faça uma análise. Procure perceber a técnica nas entrelinhas. Muitos podem achar uma leitura confusa ou achar o desenvolvimento cansativo. Realmente, a escrita de Virgínia Woolf é bem difícil. Mas, vale a pena pelo clássico. Também indico o filme produzido em 1997, com Vanessa Redgrave, interpretando a personagem título.

E pessoal, aproveitem e me sigam nas redes sociais 
Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange | Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange

  • Leyanne

    Ainda não li nenhuma obra da autora, mas sempre vejo citada em algumas obras contemporâneas e tenho vontade de conhecer. Bjs Imersão Literária

  • vanessa

    Olá! Amei essa edição, achei lindíssima e curti muito o enredo apesar de parecer ser um livro mais denso para ser lido. Gostei da dica de ler com calma e refletindo aos poucos sobre o enredo. Abraços. https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

  • Juliana Ferreira

    QUe resenha maravilhosa, fiquei curiosa com essa leitura, já anotando aqui para ler no futuro Beijos www.pimentadeacucar.com

  • Alessandra Salvia

    Nunca li nada da autora, mas quero mudar isso em breve! http://estante-da-ale.blogspot.com/

  • Ariane

    Oi Felipe, tudo bem? Nunca li nada da Virgínia Wolf, justamente por sempre ler resenhas ressaltando o fato da narrativa da autora ser um pouco confusa e cansativa. Confesso que não curto muito os livros da Jane Austen, por esse motivo, então sempre acabo deixando os livros da Wolf para um depois que nunca chega. Mas ainda pretendo dar uma chance as obras da autora. Beijos;*** Ariane Gisele Reis | Blog My Dear Library.

  • Renata Escuta Essa

    Olá Não li esse livro dela ainda, mas já vi que essa publicação da Martin Claret é linda, como vários os clássicos que ela tem publicado. Excelente postagem Beijinhos Renata Escuta Essa | Instagram | Facebook | Twitter

  • Diane Ramos

    Olá... Adorei a sua resenha! Esse livro está na minha lista de desejados e estou simplesmente loooooouca pra ler! Seus comentários a respeito me fizeram desejar a leitura ainda mais... Bjo http://coisasdediane.blogspot.com/

  • Emerson

    Parece ser um livro interessante. Boa semana! Jovem Jornalista Instagram Até mais, Emerson Garcia

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *