#Livro | Orgulho e Preconceito

Autora: Jane Austen
Editora: Martin Claret
Páginas: 320
Skoob
Onde Comprar: Americanas | Submarino | Amazon

Oi gente!
Durante o mês de março, em que comemoramos o Dia Internacional da Mulher, me propus a ler apenas livros clássicos escrito por mulheres! O primeiro deles foi “Orgulho e Preconceito”, uma obra-prima da escritora britânica Jane Austen que tem como pano de fundo a burguesia inglesa do início do século XIX. PS: estou postando apenas agora por causa dos posts sobre os filmes que concorreram ao Oscar 

A chegada de um jovem solteiro e rico à vila de Longbourn causa um grande alvoroço na família Bennet, cujas cinco filhas – a bela Jane, a sensata Elizabeth, a culta Mary, a imatura Kitty e a desvairada Lydia – foram criadas com um único propósito na vida: encontrar um bom marido. Vale lembrar que na Inglaterra, durante esse período histórico, o único papel social da mulher era ser mãe e esposa, não possuindo qualquer hipótese de ambição profissional.

Mr.Bingley, um homem muito sóbrio e distinto, se apaixona por Jane Bennet, a mais velha das irmãs. Caroline Bingley, a irmã do rapaz, mostra-se porém contra a relação devido a classe social da moça. O amigo Mr.Darcy, por sua vez, cai de encantos pela irmã Elizabeth, embora num primeiro momento se recuse a assumir os sentimentos que tinha por saber que a jovem era de origem humilde. Elizabeth, contudo, acha Mr.Darcy um homem arrogante e o repudia. A relação entre os dois é, portanto, pautada pelo preconceito, pela atração, pela paixão e pelo orgulho.

O enredo é bastante rico e há uma preocupação nítida da autora em retratar detalhadamente a sociedade inglesa do século XIX com a sua cultura, os seus hábitos e os seus valores morais. Como rapidamente se percebe, a dualidade entre o amor e o dinheiro é a engrenagem que faz mover a narrativa.

Muito interessante a crítica que a autora faz à lei do morgadio – naquela época, o filho homem deveria herdar a propriedade da família. No caso da família Bennet, como se tratava de cinco meninas, não havia um filho varão. Portanto, os bens deveriam seguir para o parente mais próximo do sexo masculino – o primo Sr. Collins, que também tem grande importância na narrativa da história.

“Orgulho e Preconceito” foi publicado originalmente em 1813, e atravessou os séculos dotado de uma assombrosa vitalidade. Prova disso, é a discussão feminista que a obra provoca até os dias de hoje. Elizabeth Bennet luta contra uma sociedade conservadora e machista, impondo sua opinião e personalidade. A plena compreensão do mundo feminino e o domínio da forma e da ironia fizeram de Jane Austen uma das mais notáveis e influentes romancistas de sua época.

A edição que li foi publicada pela editora Martin Claret, em 2010, como parte da coleção “Obra Prima de cada Autor”. Inclusive, a editora já publicou outras edições do livro.

E pessoal, aproveitem e me sigam nas redes sociais 
Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange | Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange

 

  • Priih

    Oi Felipe, tudo bem? Há anos quero ler esse livro, mas só me enrolo. :( Beijos, Priih Infinitas Vidas

  • Hanna Carolina

    Eu tentei ler Orgulho e preconceito uma vez, mas a leitura não funcionou como eu esperava. Acho que a escrita da época, lenta demais e detalhada demais, não me agrada muito, sabe? =/ O que é uma pena, pois é uma autora que marcou gerações. Que bom que a leitura fluiu bem para você. Bjks! Mundinho da Hanna Pinterest | Instagram | Skoob

  • Emerson

    Um clássico é um clássico. Tem aquela novela global "Orgulho e paixão" em que é baseada nesse livro e em outros de Jane Austen. Ao ler seu post me lembrei disso. Parabéns pela resenha tão bem escrita e que nos entrega o necessário para embarcamos ou não na obra. Boa semana! Jovem Jornalista Instagram Até mais, Emerson Garcia

  • Bruna Domingos

    Eu amo esse livro, a escrita da Jane Austen é maravilhosa para sua época. Me inspiro muito! Amei a resenha. Beijos http://www.leiapop.com/

  • Priih

    Oi Felipe, tudo bem? Passando aqui de novo pra agradecer a visita no post recente. ♥ Beijos, Priih Infinitas Vidas

  • Kelen Vasconcelos

    Oi Felipe, Eu sei que muita gente não gosta de edição de bolso, mas essa que vc leu é a mesma que eu tenho. Lembro que vc comentou isso em um dos vídeos que postei no blog do meu canal do youtube. Eu amei essa edição e nunca pensei em comprar outra. Fico feliz que tenha curtido. Vi recentemente com meu marido a série da BBC da obra e foi engraçado como ele ficou chocado com várias coisas da época, como o morgadio que vc citou. Ele ficou super indignado. rsrsrs Abraço Kelen Vasconcelos https://www.kelenvasconcelos.com.br/

  • Ray Cunha

    Olá Felipe, Adorei sua resenha! Li esse livro tem alguns anos e adorei. Enrolei muito para ler com medo de não me envolver tanto mas li em dois dias. Adorei as críticas inclusas nele. Beijo! www.amorpelaspaginas.com

  • Lary Zorzenone

    Olá Li esse livro recentemente, após enrolar como uma verdadeira louca para me entregar a esse clássico. Estou ainda mais apaixonada por essa história e agora entendo porque ele é tão querido e tão aclamado por todos. Vidas em Preto e Branco

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *