#Séries | 3ª temporada de The Handmaid’s Tale

Oi gente!
Uma das melhores séries da atualidade encerrou sua terceira temporada – The Handmaid’s Tale, baseada na obra de Margaret Atwood, trouxe um ritmo mais lento, que dividiu a opinião do público. Aclamada em sua estreia e criticada em sua segunda temporada, desta vez, os showrunners tiveram que mudar um pouco – a história se desenrolou mais lentamente, cenas de violência (muito criticadas) foram cortadas e o desenvolvimento se tornou arrastado. Ainda assim, trata-se de uma grande produção.

A grande expectativa para esta temporada girava em torno da promessa de revolução e vingança de June. A personagem de Elisabeth Moss desistiu da fuga, no final da segunda temporada, e retornou para Gilead para buscar sua filha Hannah (não podemos negar que foi um mega plot twist). A terceira temporada iniciou mostrando a vida de Emily (Alexis Bledel) depois de ter escapado de Gilead com a ajuda de June. A adaptação não é fácil, já que ela precisa se envolver com o filho, que não via desde pequeno, além da esposa. Ela conhece Luke (O.T. Fagbenle) e Moira (Samira Wiley), passando a ajudar no trabalho com os refugiados.

Aos poucos, com o passar dos episódios, a história no Canadá começa a ser ofuscada pelos anseios de June. Primeiramente, ela é forçada a aparecer em programas de TV, entre outras mídias para que o casal Waterford tenham a bebê Nichole de volta. E depois de ter uma vida conturbada com Serena (Yvonne Strahovski) e o comandante Fred Waterford (Joseph Fiennes), ela acaba sendo remanejada de casa e passa a viver com os Lawrence. Lá, ela descobre que o comandante, apesar de não ser a pessoa mais confiável do mundo, ajuda as pessoas a fugirem para o Canadá. Com isso, a relação entre ele e June se torna complicada, pois o comandante Lawrence (Bradley Whitford) não consegue controlar as ações e planos da aia. Em um determinado momento, ela descobre que Gilead foi moldado com a ajuda do comandante, que se mostra arrependido principalmente pela sua esposa, Eleanor (Julie Dretzin), que ficou completamente perturbada com o novo mundo e precisa de ajuda psicológica.

O que estávamos ansiosos para ver, aconteceu apenas nos últimos episódios. June, com ajuda das aias e Marthas, resolve bolar um plano para tirar as crianças de Gilead. Embora a temporada tenha sido a menos acalorada da série – talvez por ter mais episódios – 13, a transformação de June é algo para aplaudir. A personagem tem se tornado cada vez mais fria e calculista – algo muito importante para o desenvolvimento da história.

E como a história tem seguido um ritmo mais arrastado era de se esperar que coadjuvantes roubassem a cena. Alexis Bledel brilhou quando Emily chega ao Canadá com Nichole – vê-la encontrando Moira e Luke foi um dos momentos mais emocionantes de toda a série. Outros personagens também tiveram enfoque. A Tia Lydia (Ann Dowd), por exemplo, ganhou um episódio de origem muito bem desenvolvido. Podemos ver como a personagem era antes de tudo e, principalmente, os motivos que a levam a aceitar todas as atrocidades. Mas, por outro lado, a figura de Serena passa vários episódios distante e volta apenas no final. O que é realmente uma pena, primeiro pela atuação incrível de Yvonne Strahovski, e segundo pela expectativa criada sobre a relação dela com Fred. Há sim um ou dois momentos na temporada que entregam isso, mas a sensação é que a personagem foi deixada um pouco de lado.

Tivemos ótimos episódios – a sequência em Washington é muito boa – podemos ver que a situação já saiu de controle, com um nível de atrocidades muito maior do que ocorre em Gilead. Como falei, o episódio da Tia Lydia também foi bom, assim como os capítulos finais. A fotografia continua incrivelmente perfeita. Mas uma coisa tem começado a me irritar também – as cenas com close no rosto da atriz Elizabeth Moss – é um atrativo que funcionou muito bem na primeira temporada – fazendo com que a atriz ganhasse o Emmy – mas tem sido muito utilizado e, em momentos desnecessários. O público cansa disso. É necessário? Sim, até porque Elizabeth Moss é muito talentosa e consegue passar suas emoções e expressões apenas com o olhar, mas tem que ser em momentos estratégicos.

Enfim, mais uma temporada se passou e June permanece presa em Gilead. Mas agora, o sentido dela ali é mais claro. Ela é um símbolo de esperança. Vamos aguardar a 4ª temporada, que já está confirmada pela Hulu.

E pessoal, aproveitem e me sigam nas redes sociais 
Instagram do Entrelinhas | Instagram Felipe Lange | Fanpage Entrelinhas | Facebook Felipe Lange

 

 

  • Suelen Mattos

    Nossa, eu tenho muita vontade de assistir essa série, mas a lista pra assistir é tão grande, que arrumar tempo é que está difícil... rsrs.... =) Suelen Mattos ______________ ROMANTIC GIRL

  • Vanessa Brunt

    PRECISO assistir essa série. Tá na minha lista faz tempo... e amo o tanto de críticas sociais que ela cria em metáforas sagazes. Amei o que já li da crítica e já deixei nos favoritos pra ler de novo quando eu assistir. www.semquases.com

  • Carol Cristina

    Olá! Eu ainda n assisti essa nova temporada, mas queria q as coisas andassem nela né, no sentido da revolução. Bjs A Colecionadora de Histórias - Blog

  • Emerson

    Parabéns pela resenha tão bem escrita. Ainda não assisti à essa série. Boa semana! O blog JOVEM JORNALISTA está em HIATUS DE INVERNO, de 20 de julho à 29 de agosto. Mas tem post novo. Nesse período comentaremos nos blogs amigos. Até mais, Emerson Garcia Jovem Jornalista Fanpage Instagram

  • a primeira temporada (que é de fato o livro) é SENSACIONAL, e as outras duas, inclusive essa acho bem enroladas, algo que como fez sucesso eles estão estendendo... podia ter terminado logo na primeira www.tofucolorido.com.br www.facebook.com/blogtofucolorido

  • Luciano Otaciano

    Oi, Felipe como vai? Estou doido para assistir, no entanto a falta de tempo me impede. Ótima dica, abraços! https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

  • Eliana Cerqueira

    Oi, tudo bem? Assisti a primeira temporada, mas ainda não conferi a segunda, imagino a terceira! Em breve vou me atualizar. Beijos Construindo Estante || Promoção de aniversário do blog

  • Luiza Helena Vieira

    Felipe, pulei o texto porque ainda não assisti nem a segunda temporada, porém estou por dentro dessas duras críticas e fico com um pé atrás. Beijos Balaio de Babados Sorteio de aniversário Balaio de Babados e O que tem na nossa estante. Participe!

  • Ariane Reis

    Oi Felipe! Apesar dessa ser uma série bastante aclamada, confesso que não tenho muito curiosidade em assistir. Acho que o mundo já anda com uma energia "pesada" para assisitir uma série com cenas "fortes demais. Beijos;*** Ariane Reis | Blog My Dear Library.

  • Silvana Crepaldi

    Olá, Felipe. Eu estou doida para assistir essa série, mas preciso ler o livro antes, por isso não sei quando vou assistir hehe. Prefácio

  • Rafaela Oliveira

    Eu já ouvi falar desta série mais achei interessante a resenha. Ótimo post. www.paginasempreto.blogspot.com.br

  • Simone Benvindo

    Quero muito assistir esta série, me parece muito impactante por tudo o que já li a respeito. Adorei o resumo. Abraços Charme-se

  • Priih

    Oi Felipe, tudo bem? Achei a primeira temporada excelente, mas parei na segunda. Preciso retomar! Beijos, Priih Infinitas Vidas

  • Nat

    Já li muita crítica positiva sobre essa série. Estou pensando seriamente em me programar para assistir. Beijos Blog Modelando

  • Mari Zavisch

    Oi, Felipe! Sou doida para assistir essa série, mas nunca começo. Vejo que ela tem várias críticas importantes e espero gostar! Beijinhos.

  • Monique Larentis

    Não assisti ainda nenhuma das temporadas mas quero muito!

  • Sankas Books

    Oiiii, moço!! Eu não assisti nada ainda porque tô com o livro aqui pra ler e ainda não consegui ;/ Estou ansiosa...

  • Gabriela Silva

    Eu nunca assisti os episódios dessa aula, mas sei o quanto ela é amada ao redor do mundo. Gostei muito da sua resenha! Mil Beijos! http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com/

  • Larissa Santos do Patrocínio

    Eu sou doida para ler o livro da qual a série se baseia. Não consigo ver muitas séries porque acabo não tendo paciência para acompanhar e na maioria das vezes acabo desistindo de assistir. Tenho tentado mudar esse hábito nos últimos tempos, começando por séries mais curtas. Vou ler o livro e depois tentarei acompanhar essa. Espero conseguir já que tu disse que a terceira temporada é mais arrastada. Abraço, Parágrafo Cult

  • Stéphanie

    valeu pela dica!

  • Leyanne

    Sem dúvida uma das melhores séries que já vi. Ela abrange diversas questões importantes que até então eu não tinha me atentado. Infelizmente ainda não assisti a terceira temporada mas quero remediar isso em breve. Beijo Imersão Literária

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *