#Filme | Green Book – O Guia

Oi gente!
Bora conferir mais um filme indicado ao Oscar 2019 – hoje vou falar de “Green Book – O Guia”, do diretor Peter Farrelly. O longa concorre em cinco categorias – melhor filme, melhor ator (Viggo Mortensen), ator coadjuvante (Mahershala Ali), roteiro original e edição. Lembrando que já falei de “Nasce uma Estrela” (AQUI), “O Primeiro Homem” (AQUI), “Bohemian Rhapsody” (AQUI), “A Esposa” (AQUI), “Infiltrado na Klan” (AQUI), “A Favorita” (AQUI) e “Vice” (AQUI).

Confesso que “Green Book – O Guia” me surpreendeu bastante. Eu não estava com grandes expectativas e a produção se mostrou excelente. O filme se passa no final dos anos 60, quando os Estados Unidos ainda era uma nação segregada, com o sul do país extremamente racista. Se um negro precisasse viajar pelos estados sulistas, poderia acabar espancado ou morto, tamanho o preconceito da região. Para ajudar, foi criado o Green Book (Livro Verde), que trazia uma lista de restaurantes e hotéis que aceitavam afro-americanos.

É onde o filme começa. Baseado em uma história real, Tony Lip (Viggo Mortensen) aceita um trabalho que foge de seu cotidiano: levar o Dr. Don Shirley (Mahershala Ali), um pianista negro mundialmente famoso, em uma turnê de Manhattan ao Sul dos Estados Unidos – usando o Green Book para guiá-los aos poucos estabelecimentos da região que eram seguros. A transformação de Tony, de um conservador racista em alguém mais tolerante é um dos caminhos percorridos, mas não o único. Dr. Shirley também muda ao embarcar na jornada ao lado do motorista. Totalmente diferentes, os dois vão deixando de lado as diferenças para sobreviverem ao racismo.

Conhecido pela direção de comédias de sucesso como “Debi & Lóide”, “Quem vai ficar com Mary?” e “Eu, Eu Mesmo & Irene”, sempre na companhia do irmão Bobby, Peter Farrelly faz sua estreia como diretor-solo. E que estreia! O filme é muito bem construído, consegue passar com sutileza uma mensagem de luta e superação, além de ter ótimas interpretações de Viggo Mortensen e Mahershala Ali.

Vencedor do Oscar de melhor ator coadjuvante em 2017, pelo filme “Moonlight”, Mahershala Ali é o grande favorito na mesma categoria na premiação deste ano. O ator já levou outros prêmios como o Globo de Ouro e o SAG – com grandes méritos. Uma interpretação segura e maravilhosa. Mesmo com grande tempo de vídeo, é aposta certeira para o Oscar de coadjuvante. Já Viggo Mortensen tem um caminho mais difícil ao concorrer com Christian Bale (Vice) e Rami Malek (Bohemian Rhapsody), mas ainda assim corre por fora na categoria principal de atuação. O ator de “Senhor dos Anéis” também faz um trabalho brilhante – talvez o melhor em sua carreira.

“Green Book” consegue emocionar o espectador do começo ao fim, com uma história sensível e dramática na medida certa, com leves toques de humor, um elenco afiado e uma direção competente. A produção se torna cativante porque nos faz rir mesmo diante de situações horríveis, e porque nos afeiçoamos aos personagens principais e suas trajetórias. Um longa verdadeiramente comovente e encantador.

  • Claris Ribeiro

    Oie, tudo bem? Não assisti nenhum dos indicados ao Oscar desse ano, infelizmente não tive tempo... Não conhecia a história desse filme, gostei muito da resenha e me deixou muito curiosa, espero ter oportunidade de assistir! Obrigada pelo carinho. Volte sempre! Um super beijo :*

  • Silvana Crepaldi

    Olá, Felipe. Eu nem tinha visto esse filme nas indicações hehe. E o assunto infelizmente é um que ainda é muito atual. Mas não sei se assistiria ele. Prefácio

  • Nanda

    Não sabia desse filme, só o nome e foto nem me chamou atenção, mas, sua resenha me fez ter vontade de assistir. Beijos! Gravado na Memória Ps: tira o https quando for divulgar seu blog, pois tá dando erro para entrar pelo link :/

  • Renata (escutaessa)

    Oi Gostei da saber que o filme é baseado em uma história real, ainda não assisti, mas vou ver em breve verei :)

  • Jessica Rabelo

    Oi Felipe. Ainda não assisti esse filme, mas pretendo. Sempre gosto de ver os filmes indicados ao oscar, porque alguns dão ótimos questionamentos. Execto Guerra ao Terror ugh. Enfim... Uma das coisas que mais me chama a atenção nesse filme é o contexto meio contraditório do que as famílias dizem, por incrível que pareca. Adorei sua resenha. Certeza que vou amar. Beijos.

  • Miguel

    Eu curti o filme, super bem produzido

  • Marcela

    Estou adorando sua maratona do Oscar... curiosa para saber o que vai falar de Roma

  • Juliana

    Parece ser um filme bem interessante, quero assistir

  • Emerson

    Eu amei esse filme e espero que leve o Oscar. Boa semana! Jovem Jornalista Fanpage Instagram O blog está em HIATUS DE VERÃO até o dia 23 de fevereiro, mas tem post novo. Comentarei nos blog amigos nesse período. Até mais, Emerson Garcia

  • Luiza Helena Vieira

    Oi, Felipe! Também me surpreendi bastante com esse filme. Ele é um dos meus favoritos da temporada. Beijos Balaio de Babados

  • Carol Cristina

    Interessante a premissa do filme! Adoro o Viggo Mortensen! Bjs http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

  • Tamires Marins

    Oi, Felile Que bom que você se surpreendeu positivamente! Não é um filme que chama minha atenção, por isso não assistiria, mas só vejo comentários positivos a respeito. Beijos - Tami https://www.meuepilogo.com

  • Gisley Scott

    Olá Felipe. Toda vida que passo pelo kioski de filmes, eu sempre vejo Green Book, porém sempre na dúvida se alugava ou não. Parece que o filme promete. Vou conferir e contarei depois como foi minha experiência. Ótimo fds pra vc! Gisley Scott www.vivendolaforanoseua.blogspot.com

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *